Rally: Falta de segurança cancela etapa do Rally da Tunísia

Caminhão “vassoura”, que recolhe os competidores quebrados no trecho cronometrado, não chegou ao final da etapa de ontem e não iria participar da 6ª etapa de hoje, que foi apenas de deslocamento


A 6ª etapa do Rally da Tunísia foi cancelada pelos organizadores em razão da falta de segurança. A prova, que abre o Campeonato Mundial de Rali Cross Country da FIA, ficou sem atividades nesta quarta-feira em virtude do caminhão “vassoura”, que recolhe os competidores quebrados durante o trecho cronometrado, não ter chegado ao final da etapa de ontem, assim como alguns participantes que enfretaram problemas em seus equipamentos. Além disso, o caminhão não conseguiria realizar seu trabalho durante o dia de hoje quando seria realizada a 6ª etapa do rali, justamente a mais longa, com 502 km de trecho cronometrado entre as cidades de Idri e Sinawin, na Líbia.


Para o piloto Paulo Nobre, o Palmeirinha (Itáu Private Bank), a situação atrapalhou seus planos de ganhar algumas posições no dia mais longo da competição. “Esse tipo de coisa acontece e temos que nos preocupar com a segurança. Mas é um saco deslocar por mais de 500 km de Especial. Hoje teríamos um dia de “semi” maratona, já que ontem os mecânicos tiveram apenas uma hora para mexer no carro antes de entrar em parque fechado. Dessa maneira, alguns carros poderiam ter problemas e nós iríamos subir um pouco na classificação geral. Mas nem adianta pensar nisso, agora temos que nos concentrar para amanhã. Vamos ter muita duna na volta a Tunísia quando chegaremos no famoso oásis de El Borma”, disse Palmeirinha, o único brasileiro presente na prova.


Apesar de longa, os competidores puderam conferir no deslocamento que a Especial desta quarta-feira não seria tão dura, com poucos trechos chamados de “quebradeira” por Nobre e com pontos de alta velocidade. Mesmo no deslocamento, Palmeirinha chegou aos 195 km/h nesses locais. Amanhã, o rali volta as suas atividades normais com a realização de sua 7ª etapa, que marca o retorno da competição a Tunísia. Serão 488 km entre Sinawin e El Borma, com 314 km de trecho cronometrado.


Como não houve competição no dia de hoje, a classificação da prova continua assim:
1º Orlando Terranova/Lee Palmer (BMW), 15h17min49s
2º Eric Vigourox/Alexandre Winocq (Chevrolet), a 27min04s
3º Dominique Houssieaux/JEan Michel Polato (Schlesser), a 42min53s
4º Christian Lavieille/François Borsotto (Dessoude), a 45min07s
5º Krysztof Holowczyc/Jean Marc Fortin (Nissan), a 45min33s
6º Bernard Errandonea/Jean Pieere Garcin (SMG), a 50min58s
7º Jose Luis Monterde/Jean Marie Lurquin (Schlesser), a 1h07min58s
8º Maurizio Traglio/Marc Bartholome (Nissan), a 1h58min35s
9º Kenjiro Shinozuka/Jean Paul Forthomme (Nissan), a 2h12min53s
10º Janis Naglis/Janis Naglis (Mitsubishi), a 2h47min09s
14º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (BMW), a 4h55min49s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *