Rally: Em dia tranquilo, Palmeirinha foi 7º na Tunísia

Depois de problemas que o tiraram da luta pela vitória, brasileiro confessa estar contando as horas para voltar ao Brasil.

Depois de ter a etapa de ontem cancelada por falta de segurança para os competidores, o Rally da Tunísia voltou as suas atividades nesta quinta-feira (1/05), quando foi realizada a 7ª etapa entre Sinawin, na Líbia, e El Borma, na Tunísia. O brasileiro Paulo Nobre, o Palmeirinha (Itaú Private Bank), obteve a 7ª colocação ao lado navegador português Filipe Palmeiro, resultado que fez com que a dupla subisse para a 12ª colocação na classificação da prova. A vitória no dia ficou com a dupla francesa Dominique Housieaux/ Jean Michel Polato, com um buggy Schlesser.

Sem chance de lutar pela vitória em razão de cinco pneus furados na 2ª etapa da prova e um problema elétrico que custou três horas parados na 3ª etapa, Palmeirinha confessa que está difícil encontrar motivação para a sequência do rali. “Não nego que estou contando as horas para voltar e estar no Palestra domingo assistindo ao meu querido Palmeiras jogar a final do Campeonato Paulista! Estar em um rali sofrido desse, sem mais nenhum objetivo é bem desmotivante. Sem lutar por nada de especial, falta aquele ímpeto de acelerar naquelas retas irregulares onde o carro pode capotar de uma hora para outra, ou acreditar naquela curva a 180 km/h onde se escorrega até o limite de quase cair naquela vala ou se estourar naquela pedra. Acaba-se andando dentro de um limite de segurança para se completar todos os dias. Pode parecer loucura, mas essa adrenalina é a magia do rali cross country e sem ela as coisas não fazem sentido”, contou Nobre, o único brasileiro presente nesta competição, que abre o Campeonato Mundial de Rali Cross Country da FIA de 2008.

Para complicar, o calor está castigando pilotos navegadores e os equipamentos. A especial de hoje teve 314 km de extensão e começou com pequenas estradas rapidas e sinuosas, com área de escape recheada de pedras. Alguns trechos permitiram aos participantes chegarem a velocidades próximas dos 200km/h seguida de curvas que fechavam seu raio repentinamente. O destaque do dia para o brasileiro foi a maneira tranquila que passou pelas temidas dunas de El Borma. “Acho que esse será o ponto positivo que vou tirar dessa prova. As dunas de El Borma são complicadas, ou eram, pois conseguimos passar sem nenhum problema por esse tipo de terreno. Acho que finalmente as dunas deixaram de ser um pesadelo para mim”, falou Palmeirinha.

Nesta sexta-feira, o Rally da Tunísia terá seu penúltimo dia, com 330km a serem percorridos entre as cidades de El Borma e Ksar Ghilane, sendo 282 de trecho cronometrado.

A classificação da 7ª etapa:
1º Dominique Housieaux/Jean Michel Polato (Schlesser), 3h10min32s
2º Eric Vigourox/Alexandre Winocq (Chevorlet), a 8min43s
3º Christian Lavieille/François Borsotto (Dessoude), a 12min13s
4º Jose Luis Monterde/Jean Marie Lurquin (Schlesser), a 12min24s
5º Krysztof Holowczyc/Jean Marc Fortin (Nissan), a 15min46s
6º Orlando Terranova/Lee Palmer (BMW), a 16min53s
7º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (BMW), a 17min08s
8º Philippe de Korsak (SMG), a 41min35s
9º Kenjiro Shinozuka/Jean Paul Forthomme (Nissan), 45min39s
10º Jerome Pelichet/Eugenie Decre (Bowler), a 48min10s

O resultado geral da prova:
1º Orlando Terranova/Lee Palmer (BMW), 18h45min14s
2º Eric Vigourox/Alexandre Winocq (Chevrolet), a 18min54s
3º Dominique Housieaux/Jean Michel Polato (Schlesser), a 26min00s
4º Christian Lavieille/François Borsotto (Dessoude), a 40min27s
5º Krysztof Holowczyc/Jean Marc Fortin (Nissan), 44min26s
6º Jose Luis Monterde/JEan Marie Lurquin (Schlesser), a 1h03min29s
7º Bernard Errandonea/Jean Pierre Garcin (SMG), a 1h31min10s
8º Kenjiro Shinozuka/Jean Paul Forthomme (Nissan), a 2h41min39s
9º Maurizio Traglio/MArc Bartholome (Nissan), a 3h06min09s
10º Patrick Sireyjol/Paul Vidal (Bowler), a 3h27min38s
12º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (BMW), a 4h56min04s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *