Rally: Paranaenses dominam abertura do Paulista de Cross Country

Maurício Neves e Clécio Maestrelli (Mitsubishi Evo) vencem na geral.Amábile Barrasa e José Papacena (Ford) os melhores entre os caminhões. Prova foi disputada sob sol e piso predominantemente seco.



A dupla paranaense Maurício Neves e Clécio Maestrelli dominou a prova de abertura do Campeonato Paulista de Rally Cross Country, disputada neste fim de semana em Pindamonhangaba, região do Vale do Paraíba. Neves e Maestrelli fizeram ainda o melhor tempo para o percurso de 27 quilômetros utilizado nas três provas especiais: 20m16s4, na terceira passagem. Quarenta e quatro veículos, divididos em cinco categorias, participaram da competição realizada sob sol forte e com piso predominante seco e marcada por dois acidentes, um envolvendo André Azevedo e Maykel Justo, da categoria caminhões, e outro que eliminou a dupla Paulo Amato e Márcio Alonso. Neste último o navegador Márcio Alonso foi removido para o Hospital de Taubaté para exames que apontaram lesão no joelho direito.


 


Além de Neves e Maestrelli, que disputam a categoria Pró, saíram vencedoras as duplas Amábile Barrasa e José Papacena (Caminhões), Richard Vaders e José Spacassassi (Protótipos), Rogério Rode e Guilherme Signoretti (Production) e Marcos Cassol e Lélio Jr. (Super Production). O campeonato prossegue dia 10 de março com a disputa da segunda etapa do certame, em Ribeirão Preto. Deco Muniz, organizador do Paulista Cross Country, ficou satisfeito com o balanço da abertura da temporada:


 


“As mudanças de regulamento e o formato adotado para as provas deste ano foram plenamente aprovados, assim como nossa união com a organização do Paulista Off-Road. Certamente temos espaço para melhorar e é com esse intuito que amanhã (segunda), eu o meu colega Clayton Prado viajamos para Ribeirão Preto para iniciar a fase final de organização da próxima etapa. O saldo positivo deste fim de semana é que as conseqüências do acidente que levaram o navegador Márcio Alonso ao hospital foram bem menores do que esperava.”


 


Neves estreou carro modificado


 


Uma das principais equipes do cross-country brasileiro, a Pro Macchina Rally chegou à Pindamonhangaba com dois carros da categoria Pro e um da Super Production, que foram entregues respectivamente às duplas Mauricio Neves/Clécio Maestrelli (Mit Evo), Felipe Bibas/Emerson Cavasi (Mit L200 RS), e Oscar Bibas e Gilson Rocha (Mit L200 RS). O carro de Neves era o mais avançado do time paranaense, com modificações de suspensão que foram aprovadas em seu primeiro teste em competição, como explica o piloto:


 


“Mudamos a suspensão dianteira em alguns pontos e a reação da nossa pick-up foi excelente. O mais interessante é que ainda temos espaço para obter mais dessas alterações e já programamos um novo teste em nossa pista de provas”.


 


A Pro Macchina é uma das poucas equipes a dispor de uma pista de testes particular, que mede cerca de 2,7 km e está localizada na região metropolitana de Curitiba. Embora a participação da equipe na segunda etapa do Paulista Cross-Country ainda está sujeita à confirmação, possibilidade bastante forte segundo fontes extra-oficiais, a presença de Oscar Bibas e Gilson Rocha na próxima etapa deverá na categoria Pro, uma evolução da Super Production.


 


Amábile honra título brasileiro e dá o troco


 


Campeão do Rali dos Sertões em 2006 entre os caminhões, o paulista Amábile Barrasa, não apenas correspondeu ao seu desempenho naquela prova como consolidou os resultados do trabalho desenvolvido na temporada paulista do ano passado ao vencer as três especiais para os veículos dessa categoria:


 


“Posso dizer que ao final de uma prova bastante complicada para pilotos e navegadores, já que as referências eram completas e exigiam muita concentração e reflexos rápidos entre eu e meu companheiro José Papacena, tivemos uma competição das mais agradáveis. Mais, acredito que conseguimos esse resultado sem ter exigido tudo do nosso Ford F4000, pois a partir da segunda especial optamos por uma condução mais conservadora do que agressiva”.


 


Barrasa já confirmou sua participação na segunda etapa do Paulista Cross Country, dia 10 de março, data que impede a realização de maiores modificações no seu caminhão. “Esse intervalo torna-se ainda mais curto por causa da semana do carnaval”, declarou o piloto” antes de finalizar que “por isso, faremos apenas a manutenção preventiva para a prova de Ribeirão Preto.”


 


Dois acidentes marcaram a abertura


 


O atual campeão paulista da categoria caminhões, André Azevedo, não completou sequer a primeira prova especial da prova de Pinda. Ironicamente, antes da largada, Azevedo comentava em entrevista à Rádio Bandeirantes (que cobriu a prova ao vivo) que as dimensões de um caminhão eventualmente provocam “reações de vontade própria e causam alguns sustos. Foi exatamente isso que aconteceu”, explicava o piloto da equipe Petrobras ao retornar ao ponto de apoio. “Ao desviar de um bambuzal meu caminhão escapou mais do que eu previa e acabei acertando um toco de eucalipto que afetou severamente o canto dianteiro esquerdo do chassi do meu caminhão Mercedes-Benz. Agora, é trabalhar duro para a próxima prova e tratar de recuperar o prejuízo”.


 


Na prova de Pindamonhangaba o paulista Paulo Amato e seu navegador Márcio Alonso estrearam uma Chevrolet S10 na categoria Super Production. A participação da dupla, infelizmente, não durou o suficiente para permitir o melhor entrosamento do piloto com seu novo equipamento: cerca de um quilometro após a largada da segunda especial Amato perdeu o controle do seu veículo após o choque contra um cupim e terminou capotando. Enquanto a S10 ficou inutilizada e o piloto sofreu apenas o susto, o navegador foi trasladado para o Hospital de Taubaté para exames e radiografias que revelaram o rompimento das ligações do joelho direito. Destaque-se nos resultados o quinto lugar obtido pela dupla Tatinha Favoretto/Gigi Araújo, única dupla feminina da categoria, que terminou em quinto lugar.


 


Resultados:


 


Geral:


1.) Maurício Neves/Clécio Maestrelli, Mitsubishi Evo, 1h2m55s8


2.) Felipe Bibas/Emerson Cavassin, Mitsubishi L200 RS, 1h5m36s6


3.) Edu Piano/Fausto Dallape, Ford Ranger, 1h6m46s1


 


Caminhões


1.)     Amábile Barrasa/José Papacena, Ford F4000, 1h24m58s4


2.)     Carlos Salvini/Guido Salvini N., Mercedes-Benz, 1h32m44s8


3.)     Felício Bragante/Ricardo Costa, Mercedes-Benz, 1h33m36s1


 


Pró


1.) Maurício Neves/Clécio Maestrelli, Mitsubishi Evo, 1h2m55s8


2.) Felipe Bibas/Emerson Cavassin, Mitsubishi L200 RS, 1h5m36s6


3.) Edu Piano/Fausto Dallape, Ford Ranger, 1h6m46s1



Production:


1.) Rogério Rode/Guilherme Signoretti, Troller TR4, 1h10m11s


2.) Magno Aragão/Weidner Moreira, Troller TR4, 1h10m37s3


3.) Luis Ortega/Nelson Ortega, Troller TR4, 1h11m5s7


 


Protótipos


1.) Richard Vaders/José Spacassassi, Vaders, 1m10s11s2


2.) Cacá Closet/Rodrigo Krezam, Dobló, 1h10m37s3


3.) Mário Tridenti/Joá Bicudo, Cheetah, 1h26m59s6


 


Super Production


1.) Marcos Cassoli/Lélio Jr., Mitsubishi L200RS, 1h6m51s3


2.) Adriano Leão/Marcão Macedo, Mitsubishi L200RS, 1h8m54s9


3.) Arilo Alencar/Gilson Rocha, Mitsubishi L200RS, 1m9s34s3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *