Rally: Seis mulheres na maior aventura brasileira

O charme feminino também tem lugar na 17ª edição do Rally Internacional dos Sertões.

Durante exatos 10 dias, seis corajosas mulheres deixarão a vaidade de lado para encarar um grande desafio: o 17º Rally Internacional dos Sertões. Mesmo com perfis variados, as pilotos Helena Deyama (49 anos) e Moara Sacilotti (29) e as navegadoras Joseane Koerich (38), Doris Van Hees (44), Roberlena Moraes (39) e Kika Braga (30) têm em comum a paixão pelo off-road.

Helena, que completa nesse ano uma década de Sertões, e Joseane formam a única dupla feminina do rally. As competidoras, apesar de já se conhecerem, andarão juntas pela primeira vez. “Acredito que o principal desafio não será a minha nova navegadora, porque sou muito tranqüila e nunca tive problema com nenhuma, mas sim o novo carro. Diferentemente do ano passado, quando corri com um Mitsubishi L200 RS a diesel, vamos encarar o Sertões com um carro menor e a álcool, o Mitsubishi Pajero TR4. E é isso que está me deixando mais nervosa. Estou muito feliz por completar 10 anos de Rally, mas cada ano é diferente e é sempre uma grande experiência para mim”, comentou Deyama.

A mais jovem, de moto – Moara, além de ser a mais jovem entre as mulheres, é motociclista e competirá com uma Yamaha WR 450 na categoria Production – válida pelo Mundial FIM (Federação Internacional de Motociclismo). A paulista, nascida em São José dos Campos, começou no esporte ainda criança, aos sete anos, por influência do pai, o ex-piloto Gilberto Sacilotti. Aos 18, a piloto estreou no Sertões, sendo a primeira representante do sexo feminino de sua categoria, e foi vítima de preconceito por ser uma jovem competindo contra muitos homens experientes (mesmo dentro de sua própria equipe havia uma aposta sobre quantos dias de prova ela suportaria). Moara sofreu um acidente no sétimo dos dez dias de corrida e, no tombo, fraturou o ombro. Mas contrariando a equipe médica ela continuou na prova e após cinco mil quilômetros de corrida, entre São Paulo e Natal, ela obteve uma grande vitória: completar o Rally dos Sertões pela primeira vez.

“Para mim essa será uma edição comemorativa. Já até pedi para a organização para eu correr com o número 10”, brincou ela, que também completa uma década de Sertões. “Em 2008 havia mais uma mulher competindo de moto, mas nesse ano eu serei a única. Estou bem ansiosa e espero fazer um bom trabalho. Desde o final do ano passado estou treinando forte para a disputa já que acredito que essa edição será mais técnica e o percurso mais travado”, afirmou Moara, que garantiu não sofrer mais com o preconceito masculino. “Depois de todo esse tempo no rally, já consegui conquistar o meu espaço”.

Tensão e brigas na disputa – Já as navegadoras Doris, Roberlene e Kika correm ao lado de seus maridos, o holandês Willem Van Hees, o paulista Marcelo Carqueijo, e o baiano Regis Braga Maia, respectivamente. Como é normal em uma disputa tão difícil e longa, elas também sofrem com o stress causado pelo desgaste físico e psicológico. Ambas disseram que a intimidade com as caras metades faz a parceria dar certo, mas afirmaram que as brigas são inevitáveis.

“No inicio eu sofria mais, ele ficava nervoso, e eu chorava. Hoje não faço mais isso, aprendi a separar as coisas. Lá eu sou apenas a navegadora dele e não a esposa. Também procurei estudar e me aperfeiçoar na navegação”, contou Doris.

Roberlena lembrou que uma das piores brigar aconteceu em uma prova de regularidade. “Em uma etapa, acho que havia algum problema na planilha e por três vezes chegamos a um local sem saída. Depois disso, ele parou o carro e gritou comigo: ‘Eu não passo mais por aqui, porque você está cometendo um erro infantil! Você vai falar para onde temos de ir, senão vamos embora!’. Encostamos o Troller no meio do mato, saímos do carro, jogamos os capacetes no chão e cada um foi para um lado. Após uns dez minutos sem nos falarmos, a gente se olhou e concordamos em voltar à prova. Chegamos em quarto lugar”.

O Rally dos Sertões 2009 terá início no dia 23 de junho, em Goiânia (GO) e a chegada está marcada para o dia 03 de julho, em Natal (RN). O evento é patrocinado por Petrobras e apoiado pelos Governos dos Estados de Goiás, Tocantins e Rio Grande do Norte, Ministério do Turismo, Goiás Turismo, Shopping Flamboyant, DCCO – Geradores e Motores Cummins, SAMA e Mitsubishi Motors. O Sertões ainda conta com supervisão da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), da CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) e da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo).

PERFIL DAS MULHERES QUE IRÃO DESAFIAR O SERTÕES

Helena Deyama, piloto, 49 anos
A nissei paulista Helena Deyama sempre morou em São Paulo, na região do aeroporto de Congonhas. Sua paixão pelo off-road começou em 1995 com a compra do primeiro jipe. Inicialmente, as participações foram na base da brincadeira. Mas Helena acabou sendo uma das pioneiras entre as mulheres no esporte. Quatro anos mais tarde, ela já fazia sua estréia no segundo maior rali do mundo (o Sertões). Hoje, Helena comemora 15 anos de fora-de-estrada, e dez participações nos Sertões. Paralelamente às atividades no mundo do rali, a piloto divide seu tempo entre as profissões de design gráfica e também instrutora nos cursos de pilotagem, de direção defensiva e de mecânica para mulheres, todos em parceria com a Goodyear e Radiex Produtos Automotivos.

Moara Sacilotti, piloto, 29 anos
Única mulher a competir de moto na mais difícil aventura brasileira sobre rodas, Moara é natural de São José dos Campos (SP). Em 2009, apesar da pouca idade, já comemora sua 10ª participação no Rally dos Sertões. Seu melhor resultado foi um terceiro lugar na categoria Production, em 2000, com uma moto Yamaha TTR 250. Foi campeã várias vezes da categoria feminina, quando esta foi disputada. Em 2009, Moara irá competir com uma moto Yamaha WR 450 na categoria Production.
Moara é solteira e namora um fotógrafo que irá registrar sua aventura no Sertões. Formada em Fisioterapia e também designer de jóias, compete o ano inteiro no Campeonato Brasileiro de Rally, no qual ocupa o terceiro lugar. Os pais acompanharão a prova. E o irmão, Ramon (25 anos), também vai correr na categoria Esporte.

Joseane Koerich, navegadora, 38 anos
Juntamente com a piloto Helena Deyama, Joseane forma a única dupla feminina do Rally Internacional dos Sertões. Elas competirão com um jipe Mitsubishi Pajero TR4, na categoria Production T-2. Casada e com dois filhos, Joseane nasceu e mora em Florianópolis. Entre as garotas do Sertões, é a que possui o currículo mais impressionante. Bicampeã do Sertões (2003 e 2006) até o ano passado era navegadora do irmão, Marlon, com quem dividiu também outros resultados importantes.

Doris Van Hees, navegadora, 44 anos
Doris é paraense da cidade de Belém e trabalha como designer de jóias. Mora em São Paulo há 30 anos e hoje reside em condomínio de chácaras no Parque Guarapiranga, junto à represa de mesmo nome. É casada com o holandês Willem van Hees, 52 anos, empresário na área de consultoria e equipamentos para indústrias alimentícias, que também é seu parceiro na aventura do Sertões. O casal fará a quinta participação no rali e conduzirá um jipe Troller (categoria Production- T-2). Doris e Willem levam em sua estrutura de competição um caminhão refeitório e alojamento, que chamam carinhosamente de “Romeu e Julieta”. O casal também participa de outros campeonatos de rali durante o ano.

Roberlena Moraes, navegadora, 39 anos
Casada com o marido Marcelo Carqueijo, seu piloto no Rally dos Sertões, Roberlena reside e trabalha atualmente em Osasco, São Paulo. A dupla irá conduzir um Mitsubishi Pajero TR4 na categoria Production-T-2. No dia-a-dia, atua como arquiteta profissional e é adepta da prática do pilates. O casal disputa provas em conjunto desde 1996. Em campeonatos de rali de regularidade – nos quais o que importa é obter tempos próximos a uma meta estabelecida, e não ser o mais rápido – a dupla conquistou vários títulos e sempre conseguiu estar entre as principais competidoras. O casal convive, logicamente, em casa, mas também no trabalho há 20 anos – destes, 12 foram compartilhados no ambiente das corridas de rali. Roberlena já competiu no Sertões mais vezes que o marido: quatro contra três. Em 2003, foi campeã na categoria imprensa ao lado da repórter Mariana Becker, do programa Esporte Espetacular (TV Globo).

Ana Carolina ‘Kika’ Sena Braga, 30 anos, navegadora
Nascida em Salvador (BA), a empresária Kika Braga, mora na cidade de Lauro de Freitas. A baiana compete ao lado do marido, o piloto Regis Braga Maia. O casal tem três filhos, um de oito anos, um de cinco e o caçula de apenas um ano. Kika e Regis começaram a competir por brincadeira no MotorSports em 2007, mas o gosto pelo esporte fez o casal comprar um jipe e participar de diversas provas. O melhor resultado foi obtido no início do ano, com o segundo lugar no Piocerá (rally que acontece no Piauí e Ceará). A dupla fará sua estréia no Rally Internacional dos Sertões. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *