Rally: Spinelli mostra categoria e Vívolo surpreende no batismo

No primeiro dia de uma prova de altíssima velocidade e muito exigente na navegação dupla comprova porque é considerada uma das melhores do rally do Brasil.

No primeiro dia de disputa da abertura da temporada do Brasileiro de Rally de Velocidade, realizado hoje em Santa Catarina, o piloto Guilherme Spinelli, que retornou à competição após cinco anos afastado, mostrou toda sua categoria terminando na 3ª posição no confronto com as grandes feras do rally nacional. Seu navegador, o jovem Marcelo Vívolo que fez sua estréia nessa competição, passou com louvor no teste de fogo. A vitória do dia na categoria N4 ficou com o atual campeão Edio Fuchter/Lelo Perdigão, seguido por Marcos Marcola/Sergio Tarcísio em segundo, todos com Mitsubishi Lancer Evo IX. A prova termina amanhã após a disputa de mais duas especiais (trechos cronometrados).

“Foi muito melhor do que podia esperar. Depois de cinco anos afastado, estou super satisfeito. Viemos um pouco conservadores, falta um pouco de ritmo meu para tentar usar tudo o que o Lancer Evo IX oferece. Tomei o máximo de cuidado, com o tempo vamos nos ambientando e ainda com esse calor absurdo, foi demais desgastante. Vamos tentar manter essa posição amanhã”, comentou Guiga, bicampeão brasileiro de rally de velocidade (91 e 97) e tetracampeão brasileiro de rally cross country (2003/04/05/06).

Seu companheiro, o navegador Marcelo Vívolo foi o grande destaque do dia. Habituado com um tipo de navegação completamente diferente, deu um show no seu batismo. Num rally extremamente exigente para navegação, por ser extremamente veloz e com algumas especiais com muitas referências Vívolo não decepcionou. “Adorei, foi muito legal mesmo. Nunca achei que uma especial tão curta (11 km) fosse cansar tanto. Não dá para respirar. Estava um pouco apreensivo, mas fico feliz de ter conseguido desempenhar meu trabalho a contento. Sorte de principiante”, disse. Spinelli não poupou elogios: “O Marcelo foi impecável, fez uma navegação como se tivesse 10 anos de experiência. Foi sensacional”.

No total foram disputadas 6 especiais. Na categoria N4 – a mais forte – e que conta 9 carros, Edio/Perdigão venceu 3 e Marcola/Tarcísio as outras 3. Spinelli/Vívolo teve dois segundos e 4 terceiros lugares. Nas outras categorias em disputa. A6 a vitória do dia ficou com Rafael Túlio/Gilvan Jablonski (Peugeot) entre os 6 inscritos; na N2 Fábio Dall Agnol / Marcelo Dalmut (Fiat Palio) foi a dupla melhor do dia entre as 11.

Resultados extra oficiais – 1º. Dia

Categoria N4 (carros com preparação limitada, tração 4×4, turbo, 2000cc)
1º Edio Füchter / Lelo de Carvalho (Mitsubishi EVO IX),
2º Marcos Marcola / Sergio Tarcísio (Mitsubishi EVO IX), a 16s20
3º Guilherme Spinelli / Marcelo Vívolo (Mitsubishi EVO IX), a 34s10
4º Osvaldo Scheer/Gilson Rocha (Mitsubishi EVO VIII), a 1m17s60
5º. Juliano Sartori/Rafael Sartori (Subaru Impreza), a 1m30s10

Categoria N2 (carros com preparação limitada, 4×2, 1600cc)
1º Fábio Dall Agnol / Marcelo Dalmut (Fiat Palio)
2º Ulysses Bertholdo / Sidinei Broering (Chevrolet Celta)
3º Cleberson Casarotto/ Cleiton Casarotto (VW Gol)

Categoria A6 (carros preparados, tração 4×2, 1600cc)
1º Rafael Túlio / Gilvan Jablonski (Peugeot 206)
2º Leandro Brustolin / Daniel Ceconelo (VW Gol)
3º Marcos Vallandro / Roger Vallandro (Fiat Palio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *