Spyder Race: Categoria segue revelando talentos

Categoria de protótipos regional tem motor menos potente que Stock Light, mas chassi mais equilibrado. Diferença de desempenho entre os dois carros é superior a meio segundo por volta.

A Spyder Race, categoria que revelou Giuliano Losacco, Norberto Gresse e Renato Russo para a Stock Car, terá em 2008 mais um representante na disputa do campeonato brasileiro. O paulista Leandro Romera confirmou nesta semana seu retorno a Stock Light, que neste ano passa a ser chamada de Copa Vicar.

Romera foi um dos destaques da Spyder Race em 2007, e continuará competindo no Campeonato Paulista de Automobilismo pela categoria neste ano – apesar da coincidência de algumas datas.

A Spyder, disputada por carros construídos sobre um chassi tubular e equipados com motor VW de 215 hp, é a categoria de maior grid no estadual ao lado da Superclassic. O equipamento, na opinião de Romera, mescla características de carros de turismo a outras inerentes aos monopostos, o que o torna singular no automobilismo nacional.

“Por ser um protótipo, os carros da Spyder têm um comportamento intermediário entre um fórmula e um carro de turismo”, explica Romera. “Eles são mais rápidos na aproximação e no contorno das curvas do que um carro da Stock Light, por exemplo, embora sejam mais lentos que um monoposto nestas duas situações”, acrescentou o piloto.

A comparação com outras categorias de turismo é inevitável, embora o custo necessário para a participação na Spyder Race seja 80% mais baixo que o orçamento previsto para uma temporada da Copa Vicar, por exemplo.

A Spyder apresenta desempenho superior ao dos Stock Light em pistas como a de Interlagos, como comprovam os números das duas últimas corridas de cada categoria no circuito. A pole position de Gustavo Sondermann na última etapa do Campeonato Brasileiro do ano passado foi conquistada em 1min44s841. O primeiro colocado no grid da prova de abertura da Spyder Race em 2008, Fabio Perez, marcou o tempo de 1min44s277. Uma diferença superior a 0s5.

“Embora tenhamos cerca de 130 hp a menos, os carros da Spyder são mais leves, freiam melhor e têm mais velocidade de contorno de curva. O desempenho do carro agrada muito aos pilotos, que encontram uma categoria equilibrada, de grids cheios, e bastante veloz”, afirma Peter Wilian Januário, promotor da categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *