Spyder Race: Hyppolito Martinez vence pela segunda vez e amplia liderança no campeonato

Piloto da equipe AT Auto Sports ganhou o duelo travado com Renan Guerra desde a largada. Ao contrário da primeira etapa do campeonato, corrida deste domingo teve poucos acidentes e abandonos ocorreram em virtude do forte calor.

O autódromo de Interlagos, em São Paulo, transformou-se em um verdadeiro “forno” neste domingo (8) para os pilotos da Spyder Race, categoria mais veloz e de maior grid de Campeonato Paulista de Automobilismo.

Com largada prevista para o meio dia, os vinte pilotos que alinharam para a segunda rodada da temporada enfrentaram o momento de maior calor do dia, em uma disputa de 45 minutos a mais de 200 km/h. E boa parte do grid sofreu as conseqüências da alta temperatura.

Embora tenha tido poucos acidentes, a corrida foi marcada por uma série de abandonos causados, principalmente, pelo calor. E quem não ficou pelo caminho precisou se adaptar aos desafios impostos pelo clima.

“Nas últimas dez voltas foi bastante difícil controlar o carro, porque os pneus se desgastaram bastante e foi preciso dosar o acelerador nas saídas de curva para não rodar”, disse o vencedor e atual líder do campeonato, Hyppolito Martinez.

Ganhador, também, da primeira etapa da temporada, ele se isolou ainda mais na primeira posição. Na prova deste domingo, Hyppolito precisou superar não só o calor para somar mais 20 pontos no campeonato, mas também a habilidade do pole position, Renan Guerra, com quem travou belo duelo desde a primeira volta.

Os dois trocaram diversas vezes de posição, muitas delas em ultrapassagens realizadas com derrapagens controladas no fim da reta dos boxes.

“Eu era mais rápido em um trecho da pista, e ele em outro, mas estávamos virando praticamente o mesmo tempo de volta. Tivemos uma disputa limpa, em nenhum momento nos tocamos, e isso foi o mais legal. Não deu para vencer hoje, mas mesmo assim estou satisfeito com o resultado”, disse Guerra.

A terceira posição ficou, surpreendentemente, com Sérgio Pistili, que mesmo cumprindo um drive-through na primeira volta conseguiu se recuperar e superou, um a um, seus principais adversários. Companheiro de equipe de Hyppolito Martinez, ele elogiou o trabalho da AT Auto Sports no acerto do carro.

“Tive alguns problemas de carburação durante a semana, e por isso acho que não conseguiria superar os primeiros colocados, mesmo que tivesse andado no pelotão da frente desde o início da prova. Não acredito que poderia ter vencido, mas certamente teria acompanhado os ponteiros se não tivesse sofrido o drive-through”, avaliou Pistili.

O calor afetou também o desempenho dos carros, que sofreram com a temperatura na casa dos 33ºC. “A temperatura do meu motor subiu para mais de 110ºC, e não se pode continuar acelerando forte sob essas condições. Para não abandonar, tive de diminuir o ritmo para que a temperatura ficasse próxima dos 100ºC”, disse Fernando Forte, que chegou a estar em terceiro, mas recebeu a bandeirada em sexto.

Marco Cozzi foi o vencedor pela classe Light, divisão que teve o maior número de “baixas” ao longo da disputa. “Abri boa vantagem no início, e depois vim administrando para não quebrar. Quando a temperatura aumentou, a injeção eletrônica do meu motor passou a não funcionar tão bem, mas consegui me manter em primeiro. Foi uma prova de resistência”, avaliou Cozzi.

A segunda posição ficou com Mauro Fiamma, que herdou o resultado em virtude dos problemas enfrentados por seus principais adversários – entre eles Ronaldo Kastropil, terceiro colocado, e Evandro Pelati, vencedor da primeira etapa do campeonato e sexto neste domingo. “Se fosse para definir essa prova em poucas palavras, eu diria que ela foi muito quente. Por isso tive um pouco de sorte para vencer”, declarou o veterano piloto – pai do pole position da primeira corrida do ano pela classe Light, Federico Fiamma.

O resultado completo da segunda etapa da Copa Spyder Race foi o seguinte:

1) Hyppolito Martinez, 25 voltas em 44min18s374
2) Renan Guerra, a 1s496
3) Sérgio Pistilli, a 31s652
4) Fábio Perez, a 35s877
5) Henrique Assunção, a 38s906
6) Fernando Fortes, a 45s426
7) Ivan Mendes, a 1min17s158
8) Marco Cozzi (L), a 1 volta
9) Mauro Fiamm (L), a 1 volta
10) Ronaldo Kastropil (L), a 3 voltas
11) Paulo Kato (L), a 4 voltas
12) José Cardoso, a 11 voltas
13) Alfredo Landsberger (L), a 16 voltas
14) Peter Januário (L), a 17 voltas
15) Evandro Pelati (L), a 17 voltas
16) Carlos Medeiros (L), a 17 voltas
17) Federico Fiamma (L), a 22 voltas
18) Jacomo Sanzone (L), a 22 voltas
19) Rodrigo Posses a 24 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *