Stock: Antonio Pizzonia celebra Dia Mundial do Meio Ambiente

Piloto levanta a bandeira da preservação da Amazônia.

A cada dia que passa a preservação da Terra se torna um dos assuntos mais debatidos em todo o mundo. Seja quanto à importância da água em nossa vida, o alerta para o aquecimento global, o combate ao desmatamento ou o incentivo à reciclagem, busca-se conter os danos potencialmente irreversíveis que o ser humano vem causando ao planeta, esgotando os recursos e colocando em risco a vida de todas as espécies. Nesta semana o assunto está ainda mais em pauta, já que o Dia Mundial do Meio Ambiente é lembrado em 5 de junho (quinta-feira).
 
Um assunto que não poderia ser esquecido nesta data é a questão da Amazônia, considerado o pulmão do mundo. Sempre preocupado com as questões ambientais de sua terra natal, o piloto de Stock Car Antonio Pizzonia (K-med Racing) decidiu levantar a bandeira da preservação de uma das maiores riquezas naturais do planeta. Desde a terceira etapa da Copa Nextel, o piloto amazonense compete com os dizeres “Save the Amazon” (Salve a Amazônia) estampados na carenagem de seu Peugeot 307. “Essa luta é minha, porque quero o bem do lugar onde nasci. Mas é também de todos, porque a Amazônia é nossa. Ela é fundamental para nosso país e para todo o planeta”, afirma o esportista com passagem pela Fórmula 1 e Champ Car.
 
Apesar de manter seu foco na preservação da Amazônia, Pizzonia também está engajado em todo o movimento ambientalista. “As pessoas precisam ter a consciência que preservar a natureza não é apenas deixar de cortar uma árvore ou matar um animal. Economizar e usar a água corretamente, assim como promover a reciclagem são outras formas nobres de ajudar a salvar nosso meio ambiente”, explica o “Jungle Boy” (Garoto da Selva), como ele é conhecido no exterior desde 1997.
 
O manaura lembra também que em todo o mundo as principais organizações do esporte a motor estão buscando formas de serem menos poluentes. “A Fórmula 1 é um bom exemplo. Ela sempre está mudando os regulamentos de combustível para diminuir a poluição. Sem contar a campanha que a equipe Honda está fazendo nos últimos dois anos”, aponta Pizzonia. A categoria máxima do automobilismo impôs um mínimo de 5,75% de elementos biodegradáveis no combustível para esta temporada e planeja a mudança total para os biocombustíveis para o ano de 2011.
 
O amazonense acredita que medidas assim também poderiam ser feitas aqui no Brasil. “Porque não? Sou a favor de utilizarmos aqui o máximo de medidas possíveis para conservar a natureza”, conta o titular da K-med Racing na Stock Car. Mas Pizzonia acredita que essa iniciativa precisa partir de dentro da pessoa. “Independente de qualquer coisa, cada um tem que fazer a sua parte. Idéias é o que não faltam. Só está faltando mesmo atitude”, conclui.
 
O Dia Mundial do Meio Ambiente é lembrado desde 1972, quando a Organização das Nações Unidas – ONU – realizou sua primeira conferência sobre o tema – a Conferência sobre o Ambiente Humano. Durante toda a semana procura-se mostrar ao mundo os problemas causados pela degradação do meio ambiente e lembrar medidas e ações coletivas que visam conservar a natureza e toda a vida atual e futura do planeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *