Stock: Brasília coloca em jogo vagas no segundo turno

O clima eleitoral que o País atravessa, com eleições gerais marcadas para 1º de outubro, chegou à Stock Car. Neste fim de semana, na Capital Federal, serão definidos os 10 pilotos que passarão para o segundo turno e decidirão o título nos playoffs finais. Os quatro primeiros colocados na classificação – Cacá Bueno, Hoover Orsi, Thiago Camilo e Giuliano Losacco – foram “eleitos” ainda no primeiro turno. As últimas seis vagas serão decididas domingo depois da 8ª etapa.

Nada menos de 18 pilotos continuam com possibilidades matemáticas. Dentre estes, os pilotos que ocupam da quinta à 10ª posição têm as maiores chances. Os que vêm a seguir dependem de combinações de resultados improváveis. “O problema é que o resultado das corridas só é conhecido na bandeirada. E muita coisa pode acontecer antes disso, não apenas na prova, mas desde os treinos classificatórios”, lembra Guto Negrão (Medley), que está em 9º lugar e pontuou em todas as provas.

Nesta quinta-feira, enquanto os deputados se mantinham em suas bases na reta final da campanha, um grupo formado por Negrão, Antonio Jorge Neto, Rodrigo Sperafico, Popó Bueno e Ricardo Maurício passou pelo Congresso Nacional. Fizeram uma visita monitorada pelas dependências da Câmara Federal e tomaram conhecimento do funcionamento do gabinete do presidente e do plenário. “Foi bastante interessante, porque a maioria dos brasileiros não sabe exatamente qual o papel da casa. A visita ajudou a entender um pouco melhor qual é o trabalho dos deputados”, disse Negrão.

Carros e pilotos entram na pista amanhã para os treinos oficiais. A primeira sessão, com duração de 45 minutos para cada um dos dois grupos, começará às 10h50; à tarde, das 15h30 às 17h, os ensaios serão conjuntos e com limite de 20 voltas para cada piloto. O anel externo, traçado escolhido pelos organizadores, deve estabelecer o recorde da velocidade média da categoria neste ano e a pole deve bater na casa dos 180 km/h. A máxima poderá alcançar 257 km, número máximo permitido pela entrada em ação do limitador quando o motor atinge as 6.000 rotações por minuto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *