Stock: Brigador na pista, Chico Serra inicia nova fase na Stock Car

Tricampeão levou duas batidas e abandonou. Mas com novo carro, nova equipe e novo patrocinador, ele se diz muito motivado para a temporada 2009.

Os problemas enfrentados na primeira etapa da Copa Nextel Stock Car, neste domingo em Interlagos, não afetaram o ânimo do tricampeão Chico Serra. Aos 52 anos, o paulista celebra a nova fase de sua carreira, após uma temporada afastado da Stock Car – na qual sagrou-se tricampeão nos anos de 1999, 2000 e 2001. Depois de, nesta reestréia, mostrar a combatividade que o consagrou na categoria, o piloto da equipe Hot Wheels afirmou estar motivado pelo conjunto de novidades de 2009: nova equipe, novo carro e o seu novo patrocinador.

 

“Quando eu me despedi da Stock, em 2007, achei que não voltaria mais porque já estava cansado de tudo. Mas, na metade do ano passado, comecei a sentir vontade de voltar a competir na categoria. E, em novembro, na prova de Brasília, estava decidido que iria correr novamente. Não fico longe disso aqui. Com certeza, hoje eu estou bem mais motivado do que quando eu parei porque tenho uma série de novos desafios. A sensação é de estar começando de novo, renovado, rejuvenescido”, revelou Chico.

 

“Além de eu poder contar com a Hot Wheels, que tem tudo a ver com a categoria, é muito bom guiar um novo carro. É um desafio técnico, e não apenas esportivo. Isso me estimula bastante”, disse Chico, único piloto do grid a ter disputado a categoria com os quatro carros já utilizados: Opala, Omega, o modelo usado até 2008 e agora com o novíssimo JL-G09. “O atual modelo é ótimo, apresenta bom desempenho e é bastante seguro. Como é um projeto novo, é normal que na primeira etapa haja algum problema, mas ainda temos muito o que tirar dele. Para Curitiba, na segunda etapa, o carro estará bem melhor”, assegurou.

 

Maior vencedor – Além de ser o piloto com mais títulos em atividade na Stock, Chico também detém o status de ser o maior vencedor do grid. O paulista subiu ao lugar mais alto do pódio por 32 vezes, somando 12 vitórias a mais que o segundo colocado, Cacá Bueno. 

 

“Acredito que, na vida, você está sempre aprendendo. Sinceramente, apesar de ser o piloto mais velho do grid, eu não sinto a idade que tenho. Mas é fato que, com o passar do tempo, você vai perdendo velocidade, entretanto, por outro lado, você ganha experiência. Em certas ocasiões, experiência é mais importante que velocidade e vice-versa. Então, acho que há um relativo equilíbrio”. “Não me sinto o ‘paizão’ da turma, até mesmo porque tenho apenas um filho”, brincou Serra.

 

Com relação às chances de conquistar o quarto título, Chico é otimista. “O nível da categoria hoje é muito alto e todos os pilotos têm condições de ganhar. Mas eu acredito que posso conquistar mais um título e vou brigar por ele até a última etapa”. 

 

O piloto prefere não fazer muitos planos para o futuro, mas afirma que motivação é o que não falta. “Ainda não sei quanto tempo mais eu vou correr, mas vontade eu tenho de sobra. No ano que vem eu gostaria muito de continuar na equipe do (José) Avallone para dar continuidade ao trabalho iniciado neste ano”, encerrou o piloto, referindo-se ao engenheiro que comanda o esquema técnico da equipe Hot Wheels Racing.

 

Chico enfrentou problemas durante todo o fim de semana, devido especialmente ao estágio inicial de desenvolvimento do novo carro. “Mas ele tem bastante potencial”, elogiou o tricampeão. Na tomada, depois de ter tido a oportunidade de realizar poucas voltas nos treinos livres, Serra ficou com o 23º lugar entre os 32 inscritos. A corrida foi bastante conturbada. Logo na primeira volta, quando já havia pulado para 18º, Chico levou uma batida por trás e acabou acertando a traseira de outro carro na freada. “Isso danificou o sistema de fixação do capô, que voou duas voltas depois”, explicou o piloto da Hot Wheels. Quase no fim da prova, outro carro o acertou na freada, quando Serra negociava a ultrapassagem sobre Duda Pamplona. “Essa batida foi forte, e acabou com a suspensão traseira do meu Stock. Foi o que me tirou da prova”, concluiu Chico Serra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *