Stock: Burti quer a vitória em Brasília

Piloto da Petrobras-Action Power é, ao lado de Cacá Bueno, o piloto que mais largou na pole position neste ano, com duas conquistas, mas série de infortúnios o deixou sem chances de conseguir vaga no playoff em Brasília.



Duas pole positions e outras duas corridas entre os primeiros colocados. Mesmo com este desempenho em quatro etapas, Luciano Burti (Petrobras-Cimed-Pakalolo-Brasil Telecom) perdeu na prova passada, em Santa Cruz do Sul, a chance de conseguir uma vaga no grupo dos dez primeiros que seguem na disputa do título após a oitava etapa, marcada para este domingo em Brasília.


 


A perda da possibilidade de uma vaga no playoff aconteceu de forma dramática. Após liderar com tranqüilidade de ponta a ponta, o semi-eixo de seu carro quebrou a 11 voltas da bandeirada.


 


“Azar é uma palavra que costumo evitar para justificar qualquer tipo de performance, mas neste ano a seqüência de falta de sorte foi incrível”, diz Luciano, que não passou por este tipo de fase ao longo da carreira. Pelo contrário: na Inglaterra, onde foi campeão de F-Vauxhall e vice de F-3, a fama era oposta, já que algumas revistas especializadas o chamavam de Lucky Luciano. “Com certeza uma hora vamos reverter esta seqüência e as vitórias virão mais cedo ou mais tarde”, comenta.


 


Com dois primeiros lugares no grid, em Curitiba e em Santa Cruz do Sul, Burti é, ao lado de Cacá Bueno, o piloto que mais poles conquistou na Stock Car neste ano. Nas duas ocasiões, o piloto da Petrobras-Action Power liderou a prova, mas abandonou –em Curitiba, por conta de um pneu furado.


 


Em outras duas oportunidades, também na capital do Paraná e no Mato Grosso do Sul, o paulista estava entre os primeiros quando foi obrigado a abandonar –em Curitiba, novamente por culpa de um pneu, que lhe roubou um segundo lugar praticamente garantido.


 


“Contando apenas estas quatro corridas, teria pontos de sobra para entrar no playoff. Mas os problemas aconteceram, então não tenho mais chance de título. É frustrante porque lutar pelo campeonato era meu objetivo desde o início do ano e nossa performance na pista é uma evidência de que tínhamos potencial para isso”, afirma Burti.


 


Em sua estréia na Stock Car, no ano passado, o ex-piloto de testes da Ferrari na F-1 terminou o ano na quinta colocação, com 79 pontos. Foi o melhor estreante do ano e subiu duas vezes no pódio –inclusive em sua primeira prova, em São Paulo.


 


O piloto da Petrobras-Action Power, no entanto, acredita que teve um salto de performance em 2006, mesmo sabendo que no máximo terminará o ano na 11ª colocação.


 


“O ano passado foi excelente e por isso projetei um plano ambicioso para esta temporada. Infelizmente os pontos não vieram, mas sinceramente estou mais satisfeito com minha performance agora, porque fiz duas poles, liderei corridas e estive muito mais perto da vitória. Com certeza estou mais adaptado à categoria e quero lutar pelas primeiras colocações nas cinco provas restantes”, diz Burti.


 


Adotado pela primeira vez na Stock Car em 2006, o playoff foi inspirado na Nascar, categoria norte-americana em que a disputa é ainda mais acirrada, com nomes como Tony Stewart, Robby Gordon e Kurt Busch também fora do playoff, iniciado no último final de semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *