Stock: Busca por vagas em 2008 acirra disputa nas divisões V8 e Light

Equipe M4T/WAS, com Paulo Salustiano e Alexandre Cunha, é uma das que tentam garantir espaço das duas maneiras possíveis para a temporada seguinte.

As regras da temporada 2007 da Stock Car começam a fazer o efeito esperado em todos os setores do grid. Se na frente os pilotos tentam garantir vaga nos Playoffs, e ao fundo os competidores buscam a cada corrida o direito de estar entre os 38 que largam na Copa Nextel, uma questão envolve diretamente todos estes participantes: a permanência na divisão principal em 2008. A terceira etapa da maior competição nacional do automobilismo será neste final de semana, no Autódromo Internacional Orlando Moura, em Campo Grande (MS), e terá todas estas emoções com transmissão da corrida de domingo (03/6) ao vivo pela SporTV, a partir das 13h (horário de Brasília).

Com a regra de que no ano que vem apenas as 16 melhores equipes do atual campeonato terão um par de vagas asseguradas para a Copa Nextel, juntamente com a garantia do piloto campeão da Stock Light conquistar duas vagas para sua equipe na categoria máxima, alguns times passaram a investir em ambas as divisões, visando aumentar as chances de permanência na modalidade. A M4T/WAS, chefiada pelo experiente Miguel Ferreira, foi uma das que optou pelos dois caminhos. O primeiro deles com Paulo Salustiano (Inpacom/Nicoboco/Sawary/RedeTV) na Copa Nextel, por onde já competiu em 2006 sendo o segundo melhor estreante, apenas atrás de Tarso Marques, que tem experiências até mesmo na Fórmula 1. “Este ano ninguém terá sossego, e todos disputarão até a última corrida com algum objetivo, uns pelo título e outros pela permanência”, ressaltou o piloto paulista de 23 ano de idade.

Salustiano destaca ainda a dificuldade que enfrentará por ser o único piloto da M4T/WAS na Copa Nextel, já que 22 das 27 escuderias estão atualmente representadas por dois pilotos. “Nossa missão é complicada, pois temos apenas um carro na Stock V8 e precisamos pontuar entre as melhores equipes. A maioria das  equipes tem a possibilidade dobrada de somar pontos por terem dois carros na pista, mas esta responsabilidade e desafio só nos traz motivação para trabalharmos em dobro”, analisou o vice-campeão da Stock Light em 2005.

Já o segundo meio de se garantir na divisão principal em 2008, através da busca pelo título da Light, veio com o carioca Alexandre Cunha, retornando ao automobilismo depois de cinco anos sem competir. A aposta foi do próprio chefe da equipe custeada por Inpacom/Nicoboco/Sawary/RedeTV, que em 2001 obteve o título da Fórmula Chevrolet “B” com Alexandre. “Tivemos essa ótima oportunidade de escolhermos um piloto que considerássemos ideal para a disputa pelo título, e logo lembramos do (Alexandre) Cunha, que estava parado. Ele é um piloto muito próximo do completo, é bem preparado e técnico”, comentou Miguel Ferreira. “Tudo o que precisávamos era saber se ele teria condições de uma rápida adaptação ao Stock Light, e ele nos deu a resposta já na abertura do campeonato, quando brigou pela pole position e vitória, fez a volta mais rápida da corrida e recebeu a bandeirada em segundo lugar”, completou o dirigente da M4T/WAS.

Aos 33 anos de idade, o carioca mostrou a que veio já nas duas primeiras provas do campeonato, colocando-se na terceira posição da tabela e confirmando que sua equipe fez a aposta certa. “É maravilhoso receber um convite de pura confiança em meu trabalho mesmo depois de tanto tempo parado, e corresponder às expectativas só tem tornado o clima ainda melhor. Sabemos das dificuldades que teremos ao longo da temporada, mas também estamos confiantes de que poderemos brigar pelo título”, concluiu o representante da Inpacom, Nicoboco, Sawary e RedeTV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *