Stock Car: Pizzonia encerra em Interlagos maratona de corridas

Amazonense encara em São Paulo sexto final de semana seguido de competições.

Seria muito comum ver um profissional reclamar de ter que trabalhar durante seis finais de semana seguidos. Ainda mais numa profissão na qual o desgaste físico e mental é muito grande. Mas nem todos encaram uma agenda lotada como essa com falta de vontade e mau humor. Na última etapa da Copa Nextel Stock Car, que acontece no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, o amazonense Antonio Pizzonia (K-med Racing) vai completar sua sexta semana seguida dentro das pistas. “Eu estou fazendo o que eu amo. Quanto mais tempo eu ficar dentro do cockpit, melhor. Se dependesse de mim, estaria correndo todos os finais de semana da minha vida”, confessa. A corrida acontece neste domingo (07/12), com transmissão ao vivo da TV Globo a partir das 11h.

Entre provas defendendo o Corinthians na Superleague Formula – o futebol sobre quatro rodas –, etapas da Stock Car, 500 Milhas de Kart da Granja Viana, Futebol de Pilotos e o Desafio Internacional das Estrelas – no último final de semana, Antonio Pizzonia está em atividade e viajando sem parar desde o dia 1º de novembro. “O mais cansativo são as viagens, muitas delas internacionais, que não são curtas. Além de ficar trocando de hotel o tempo inteiro. Estou há muito tempo fora de casa. Mas o prazer de pilotar compensa tudo isso”, conta o amazonense. Mas esse tipo de maratona não chega a ser novidade para ele. “Quando eu fui piloto de testes da Williams F1 e competia na Fórmula 3000, vivi algo parecido. Não tinha descanso”, se lembra o piloto que teve passagem pela Fórmula 1 e pela Champ Car.

O segredo do piloto para agüentar essa maratona e poder dar o melhor numa atividade tão desgastante é saber se poupar e manter sempre o preparo físico. “Para se manter bem, a preparação física não pode parar. E com a experiência de já ter encarado uma agenda lotada como essa, eu sei o momento certo de descansar e me preservar, sem gastar energia desnecessária”, explica. Como consegue manter uma boa forma física, Pizzonia tem apenas um outro grande desafio nessa seqüência de corridas. “O cansaço físico eu consigo superar bem. Já o desgaste mental e sentimental é maior”, garante.

Após uma longa e difícil temporada na Stock Car, o titular da K-med Racing espera conseguir um bom resultado na etapa de encerramento da principal competição do automobilismo brasileiro. “O ano foi difícil para todos. Tivemos oportunidades de conquistar alguns bons resultados, mas infelizmente não conseguimos. Agora vou dar o máximo para fechar o ano da melhor maneira possível”, sentencia. No entanto ele não deixa de perder o otimismo. “Na última corrida da Stock Car eu estava fora, mas os carros foram bem, parece que a equipe encontrou um bom acerto. Acho que iremos andar bem em São Paulo”, aposta.

Após o final da temporada 2008 nas pistas, e mesmo com lesão nas costelas durante as 500 Milhas de kart da Granja Viana, Pizzonia deve seguir na ativa. “Dificilmente eu vou ficar parado. Eu já fiz maratonas e vou continuar atrás de algum desafio pessoal. De preferência algo que seja emocionante”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *