Stock: Carro mais leve aumenta otimismo de Salustiano para prova de Interlagos

Remontagem deixou o carro da equipe Bennamed/Sawary/Nicoboco mais competitivo.

Um carro 10 quilos mais leve, com um novo câmbio e amortecedores com uma nova configuração são as armas que Paulo Salustiano terá na quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Stock Car V8, neste domingo em Interlagos. Mesmo sendo o mais bem colocado entre os estreantes, Salustiano espera subir na tabela do torneio, onde está em 17º. “Já aprendi bastante em três etapas, como mostra a 10ª colocação que obtive em Campo Grande, e isso me fez mudar de objetivo. Antes, era marcar os primeiros pontos; agora, ser um dos 10 pilotos que vão disputar o campeonato“.

Mesmo sabendo que sua meta é dificílima, Salustiano não faz por menos. “Pode ser que eu não chegue lá, mas tenho de tentar. E a única maneira de ficar entre os 10 é dando o melhor de mim a cada corrida. Os 10 classificados só serão definidos na oitava etapa, mas o ideal é chegar lá mais cedo para ter mais chances na fase final. Se vou conseguir ou não, não sei, mas quero ter certeza de que se ficar fora, não terá sido por omissão”, diz o piloto da equipe Bennamed/Sawary/Nicoboco, que foi vice-campeão da Stock Light em 2005. “Sei que tenho muito a aprender na Stock V8. Mas andar com os melhores pilotos do Brasil é um grande estímulo para evoluir cada vez mais”.

Salustiano considera a volta a Interlagos um fator favorável. “É uma pista em meu carro rende bem, como se viu na pré-temporada, quando fiz o 10º melhor tempo. O meu engenheiro, o Miguel Ferreira, vai testar os amortecedores na sexta-feira, mas se eles não forem tão bons quanto os anteriores, vamos voltar logo ao acerto que tínhamos na pré-temporada e aprimorá-lo ainda mais”.

Salustiano aproveitou a longa interrupção do Brasileiro para aprimorar a forma física. “Estou melhor do que no começo do ano”, revela o piloto, que sofreu uma cirurgia para extrair dois dentes e teve de ficar uma semana parado. “Foi complicado, mas agora não corro mais o risco de ter complicações em fins de semana de corrida”, declarou o piloto, que voltou aos treinos de kart há duas semanas, logo que recebeu alta. “Peguei pista seca e chuva, e deu para sentir que o corpo e os reflexos estão em ordem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *