Stock: Categoria principal terá menos de um segundo entre 1º e último no grid em Brasília

Pilotos da K-med Racing, Thiago Marques e Antonio Pizzonia, destacam forte competitividade na pista que recebe segunda etapa; vale até colocar papel contact no carro para ganhar milésimos.

Os 34 pilotos da Stock Car entram na pista nesta sexta-feira nos treinos livres da segunda etapa do campeonato, em Brasília, sabendo que terão na Capital Federal uma das missões mais ingratas do ano: lutar pela pole position na pista em que as diferenças entre os carros são as menores da temporada.

A expectativa é de que todo o grid esteja dentro do mesmo segundo. “Aqui em Brasília, até o menor detalhe faz diferença. Para o treino classificatório, Procuramos vedar todos os pontos do carro, tapando com papel contact a menor área que seja, a fim de não deixar escapar um milésimo sequer no cronômetro”, diz Thiago Marques, da K-med Racing.

O paranaense sabe bem a importância deste “pelinho” de tempo, como se diz no jargão automobilístico. No ano passado, perdeu no último minuto do treino sua vaga na Super Pole por apenas 5 milésimos. Para se ter idéia, um piscar de olhos dura 10 milésimos de segundo. “É frustrante, mas ao mesmo tempo é uma pista que desafia ainda mais os pilotos. Ela é mais curta e de altíssima velocidade (média de 176 km/h), então os tempos naturalmente são próximos”, explica Marques (K-med-Alpina-Action Sound), sobre o traçado de 2.919 metros.

Mesmo quem veio da F-1 se impressiona com tanta competitividade, como Antonio Pizzonia, que fez sua estréia na categoria na metade do ano passado. Em 2007, correndo pela primeira vez no circuito, o amazonense aprovou a etapa de Brasília. “É uma pista mais simples, claro, mas que favorece a ultrapassagem. Desta forma, é ótimo para o espetáculo, para os torcedores e para nós, pilotos”, afirma o “Jungle Boy”.

A estratégia para o uso do nitro será ainda mais importante em Brasília, de acordo com o piloto da K-med Racing. “Em todos os circuitos, é preciso saber a hora certa de usar. Mas, em Brasília, o uso correto pode definir o vencedor da prova”, explica PIzzonia, que marcou ponto em sua estréia pelo novo time em São Paulo e espera subir na tabela em Brasília. “Meu objetivo é sair da corrida entre os dez primeiros do campeonato”, completa.

A expectativa de um bom resultado também é grande para Thiago Marques, que vem de vitória em sua estréia na GT3 Brasil, onde corre com um Lamborghini Gallardo em dupla com o também paranaense Alceu Feldmann.

“Vencer é sempre bom, ainda mais em uma categoria competitiva como a GT3. Este resultado me enche de motivação para continuar a boa fase na Stock Car”, afirma Thiago, campeão da Stock Car Light em 2001.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *