Stock: Categoria troca Tarumã pelo Velopark no Rio Grande do Sul

Pista que recebeu a primeira corrida da história da categoria, em 1979, deu lugar no calendário ao mais novo autódromo do Brasil, construído em Nova Santa Rita (RS)

A vitória de Luciano Burti na penúltima etapa da temporada passada marcou a despedida do circuito de Tarumã do calendário da Stock Car. Neste ano, a categoria passa a correr no moderno autódromo do Velopark, que será inaugurado neste domingo (2), com a terceira etapa do campeonato. “O traçado de Tarumã é um dos melhores do Brasil, é a pista mais desafiadora, mas não oferecia mais as condições ideais de segurança”, afirma Luciano Burti.

“É uma pena perder um traçado como aquele, sentirei falta não apenas por ter vencido lá, mas por ser uma pista muito gostosa para pilotar. Mas em função da segurança acredito que a maioria dos pilotos prefere mesmo estar no Velopark”, acrescenta o piloto da Itaipava Racing Team, que chega ao autódromo – o quarto inaugurado no Rio Grande do Sul – na manhã desta quinta-feira (29). “Pelo que eu vi até agora, está tudo ok”.

“O traçado atual é uma adaptação, o projeto é aumentar a pista no futuro, mas por enquanto ela é pequena, tem poucas curvas e freadas bem fortes. Resta saber o nível de aderência”, comenta Luciano Burti. O piloto e a equipe vêm de um fim de semana de bom desempenho na etapa anterior, em Curitiba. Ele largou em terceiro lugar e tinha chances claras de chegar ao pódio não fosse a quebra da alavanca do câmbio.

E a expectativa é manter o ritmo mesmo na pista desconhecida para todos. “Não dá para dizer que o carro se adapta melhor a um tipo de pista ou outro, pelo menos não na Stock Car. O que eu tenho é uma confiança muito grande no Maurício Ferreira (chefe de equipe) que consegue explorar muito bem as oportunidades e está sempre preparado para encontrar rapidamente um bom acerto”, revela Luciano Burti.

David Muffato, companheiro de equipe de Luciano Burti na Itaipava Racing Team, também não vê grandes obstáculos na estreia do Velopark. “É uma novidade e o mais legal é que todos começam o trabalho do zero. Mas a pista parece não ter muitos segredos, é bem simples de andar, pequena. Será complicado para o treino classificatório, com vários carros andando juntos, mas na corrida será interessante”, destaca David Muffato.

“Vamos ver agora o que precisamos fazer para andar tudo direitinho, mas por ser um traçado curto (tem apenas 2.153 metros) os pilotos devem se adaptar tão rapidamente que na quinta-feira já teremos uma boa ideia do que o circuito exige em termos de acerto e pilotagem”, acrescenta o piloto, campeão da Stock Car em 2003. As atividades oficiais começam com dois treinos extras nesta quinta-feira, a partir das 15h50.

A corrida no domingo está marcada para 11h05 com transmissão ao vivo pelo Sportv e dos principais momentos pela Rede Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *