Stock: Em Campo Grande: cockpit ou sauna?

Com previsão de 33ºC no domingo em Campo Grande, pilotos disputam última etapa da fase classificatória em um cockpit de 60ºC

No céu, um sol de 33 graus; algo que chega a ser comum, levando em conta que o Brasil é um país tropical, assim como a temperatura de 50ºC no asfalto, que chega até a queimar os pés descalços. Mas os pilotos da Stock Car vão se deparar com o “aditivo extra” de 60°C dentro de seus cockpits, quando alinharem para a oitava etapa da temporada, em Campo Grande.

Equipados com roupas anti-chama, sapatilhas, luvas, macacão, balaclava e capacete, o piloto se sente dentro de uma sauna, mas uma seca, levando em conta que a umidade relativa do ar na capital sul-mato-grossense ficará em torno de 30%. “Vai ser muito calor e seco, um desgaste muito grande, os batimentos aceleram e o piloto acaba perdendo muito líquido”, comenta Antonio Jorge Neto, do RZ Corinthians Motorsport.

“Em um calor mais úmido é mais agradável. Devemos andar em torno de 60ºC dentro do carro, o que, realmente, é uma grande sauna!”, destaca o vice-campeão de 2006, que aponta um problema a ser considerado por causa do calor, mesmo com a pista do Circuito Orlando Moura recapeada. “O desgaste dos pneus também serão um dos problemas que teremos que lutar e administrar durante a etapa”.

Mesmo com o fuso horário de uma hora a menos, o calor deve bater a casa dos 36°C na sexta-feira, primeiro dia de atividades. O sábado, assim como o domingo, terá os termômetros batendo 33°C. A etapa de Campo Grande, oitava e última da fase de classificação para o playoff final, acontece às 11h (de Brasília).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *