Stock: Em Campo Grande pneus apagam as chances da Officer Motorsport

Nonô ocupou vice-liderança.

O desgaste excessivo de pneus eliminou as possibilidades de Duda Pamplona e Nonô Figueiredo na quinta etapa do Campeonato Brasileiro de Stock Car, disputada hoje, no Autódromo Internacional de Campo Grande (MS), circuito conhecido por seu asfalto muito abrasivo. Os dois pilotos da Officer Motorsport largaram respectivamente em 12º e 9º, confiantes em quebrar o tabu de Campo Grande, pista que não está entre as favoritas de ambos particularmente pelo retrospecto de poucos resultados neste circuito e Nonô chegou a ocupar a vice-liderança da prova na altura dos pit stops obrigatórios. O piloto retardou sua entrada nos boxes, quando jogou sua grande cartada:


 


“Aproveitamos para trocar os pneus traseiros após o reabastecimento obrigatório e embora tivesse perdido muitas posições conseguia recuperar terreno ao marcar tempos em torno de 1m32s quando os ponteiros viravam quase um segundo mais lento. Uma freada mais forte, porém, desgastou o pneu dianteiro direito, o mais exigido nesta pista, que acabou estourando a duas voltas do final.”


 


Duda Pamplona manteve na zona de pontuação na maior parte da prova, mas na fase final seu carro perdeu rendimento por um problema anormal, como explica o piloto com uma dose de humor:


 


“Algum objeto ficou preso próximo ao pneu traseiro esquerdo e começou a criar um sulco na banda de rodagem. Se o pneu ficou parecido com o de um carro de Fórmula 1, a estabilidade e a tração não tinham nada a ver…”


 


O resultado adverso ao esperado pela Officer Motorsport motivou uma reflexão fria de Fábio Gaia, o diretor esportivo do time. Nos boxes o dirigente comentou que “havia uma grande dúvida sobre o desgaste dos pneus e a performance dos nossos dois carros foi afetada exatamente pelo desgaste excessivo desse equipamento.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *