Stock: Equilíbrio marca início da Mobil Super Final

Prova será a nona etapa da Copa Caixa Stock Car, no dia 10 de outubro

Como tem acontecido nos últimos anos, a segunda fase da Copa Caixa Stock Car terá início após oito corridas bastante equilibradas. A Mobil Super Final, que terá sua abertura no dia 10 de outubro, com a etapa de Londrina, promete dar sequência a esta situação, tornando-se bem difícil apostar neste ou naquele piloto. Ricardo Maurício, da Eurofarma RC (Chevrolet), começa a fase na frente, fruto da melhor campanha e de duas vitórias, mas, certamente, teremos os demais finalistas na briga e com chances iguais de vitória. Sem contar que os outros participantes da Copa Caixa Stock Car vão querer mostrar que poderiam estar na luta pelo título da principal categoria do automobilismo nacional.

Dos dez pilotos que seguem na briga, sete deles venceram provas este ano: Ricardinho, em Nova Santa Rita (RS) e na Corrida do Milhão, em Interlagos; Átila Abreu, da AMG Motorsport (Chevrolet), em Ribeirão Preto (SP); Nonô Figueiredo, da Cosan Mobil Super Racing (Chevrolet), em Campo Grande (MS); Max Wilson, da Eurofarma RC (Chevrolet), em São Paulo; Cacá Bueno, da Red Bull Racing (Peugeot), em Salvador (BA); Allam Khodair, da Blau Full Time (Peugeot), em Curitiba (PR); e Felipe Maluhy, da Officer ProGP (Chevrolet), no Rio de Janeiro.

Marcos Gomes, da Blau Full Time, Daniel Serra, da Red Bull Racing, e Popó Bueno, da A.Mattheis (Chevrolet), completam a relação de pilotos que estão na Mobil Super Final e tiveram bons desempenhos ao longo da oito corridas realizadas.

Com o conhecimento de quem já conquistou nada menos que 12 títulos, Ingo Hoffmann também acha que o equilíbrio predominará na Mobil Super Final. “Estamos novamente na Mobil Super Final, que diferentemente do ano passado, promete uma disputa muito acirrada, até a última etapa. Temos diversos pilotos, todos eles com plenas credenciais para estar aqui. Dos dez finalistas, tivemos sete pilotos que venceram uma corrida, sendo que o Ricardinho foi vitorioso em duas delas. Pelas credenciais, e pelas performances de todos, fica impossível apontar um favorito. Mesmo quem está entrando na Super Final mais distante na tabela, tem chances reais de ser o campeão”, analisa.

Nunca é demais lembrar como funcionará a disputa na segunda fase. Os dez classificados começarão na etapa de Londrina, a primeira da Mobil Super Final, com uma pontuação diferente, que servirá para que não sejam alcançados pelos demais participantes. Cada um receberá a pontuação de uma prova, ou seja, 25 para o primeiro, 20 para o segundo até 6 para décimo, além de 200 pontos de bônus. Dessa forma, a pontuação deles fica assim: 1) Ricardo Maurício, 225, Átila Abreu, 220; 3) Nonô Figueiredo, 216; 4) Max Wilson, 214; 5) Cacá Bueno, 212; 6) Marcos Gomes, 210; 7) Allam Khodair, 209; 8) Felipe Maluhy, 208; 9) Daniel Serra, 207; 10) Popó Bueno, 206. O pior resultado das quatro provas será descartado após o final da competição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *