Stock: Incrédulo, Camilo vence abertura da Stock Car em Curitiba

Pole Marcos Gomes lidera só até a entrada do safety car e as confusões nos boxes

Nem ele mesmo acreditava, mas partindo apenas da 11ª posição o paulista Thiago Camilo abriu a temporada da Stock Car com uma surpreendente vitória em sua primeira prova como piloto da RCM Motorsport. Depois de passar em branco no campeonato passado e pela primeira vez ficar de fora dos playoffs, Camilo finalmente voltou a ganhar depois do fechamento do calendário em 2009. Foi o que melhor soube tirar proveito da confusão provocada pela abertura dos boxes durante a entrada do safety car por causa de um acidente com Lico Kaesemolel e cuja maior vítima foi o pole Marcos Gomes, da Medley/Full Time Sports. Depois de liderar as oito voltas iniciais, Gomes foi prejudicado pela parada do vizinho Cacá Bueno (Red Bull) em frente à sua garagem e ainda seria obrigado a retornar mais duas vezes aos boxes, numa delas por irregularidade no reabastecimento.

Depois dos agradecimentos de praxe à nova equipe, Camilo admitiu que não contava sequer com um lugar no pódio. “Sabia que seria complicado por causa do meu lugar no grid. Felizmente, consegui sair rapidamente dos boxes no reabastecimento e vi que tinha chances de vencer. O carro tinha andado muito bem na sexta-feira, quando fui o mais rápido, e só perdemos um pouco do caminho no sábado por causa da garoa e da borracha dos carros do WTCC que mudaram as condições da pista”, explicou.

Gomes não escondeu o desapontamento pela perda de uma vitória que parecia ao alcance de suas mãos e que seria a primeira fora de Interlagos, onde conquistou as quatro que soma na Stock Car. Além de perder tempo nos boxes por causa do mau posicionamento do carro de Cacá, preferiu retornar logo em seguida por conta do estranho comportamento da roda traseira esquerda. “A gente sabia que daria confusão nos boxes, com a liberação de entrada dos carros no período do safety car. Até comentamos isso na reunião da sexta-feira com o pessoal da CBA”, disse Gomes. Um mecânico da equipe de Alceu Feldmann chegou a ser atropelado por Valdeno Brito, mas sem maiores conseqüências.

Os dissabores de Gomes não se encerraram com o novo atraso decorrente do reaperto da roda. Com a punição aplicada pelo problema no reabastecimento, Gomes fez o terceiro pit stop e como consolo ainda conseguiu ao menos terminar na zona de pontos ao receber a bandeirada em 14º. O companheiro de equipe Xandinho Negrão cumpriu o roteiro previsto: ainda em recuperação de uma fratura no ombro esquerdo, largou dos boxes, completou uma volta e recolheu o carro à garagem a Medley/Full Time Sports, preferindo economizar os pneus para a etapa do dia 3 de abril em Interlagos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *