Stock: Ingo Hoffmann é homenageado em São Paulo

O supercampeão, que deixa a categoria este ano, recebeu uma réplica do carro com o qual venceu em 1980 diante de amigos de todas as gerações.

Depois deste domingo, a Stock Car perderá um pouco de sua magia com a saída de Ingo Hoffmann. A principal categoria do automobilismo nacional se despedirá de um de seus maiores ídolos, dono de nada menos que 12 títulos em 30 temporadas disputadas. E em uma semana de muita emoção, o Alemão foi surpreendido neste sábado com um presente inesquecível: uma réplica de seu Opala de 1980, com o qual obteve seu primeiro título na Stock Car, presente de Lico e Buku Kaesemodel. A homenagem foi ainda mais especial, pois contou com a presença de seus amigos, familiares e companheiros de pistas de várias gerações, como Paulão Gomes, Chico Serra, Rubens Barrichello, Cacá Bueno, Luciano Burti, entre outros,


O evento começou com Ingo saindo para uma volta com o modelo de 2009. Ao regressar aos boxes, foi surpreendido com a presença de todos os seus amigos e do “velho”carro. Isso foi motivo para levar o piloto às lágrimas diante de aplausos de todos. “Estou com o coração a milhão, nunca esperava ganhar este carro. Estou muito feliz, obrigado”, declarou antes de entrar no Opala e sair para duas voltas no circuito e arrancar mas aplausos dos fãs.


Na entrevista coletiva, Ingo aproveitou para contar um pouco de sua longa e vitoriosa história, além de agradecer a todos que colaboraram para seu sucesso, em especial ao apoio dos pais. “Eu sempre disse que eles estavam à frente de seu tempo e me deram todo o apoio para seguir meu sonho”, disparou. “Nesses 12 campeonatos em 30 anos de Stock Car, sempre estive cercado de bons profissionais, por isso tive esse grande número de campeonatos vencido. Na verdade, fiz parceiras brilhantes, não ganhei nada sozinho. Foram todos muito competentes”, afirmou


Ele também destacou a rivalidade e amizade com outras duas feras da Stock Car, o tetracampeão Paulão Gomes e o tricampeão Chico Serra, “O automobilismo tem algumas coisas muito engraçadas. Apesar de toda a briga dentro de pista com o Chico e o Paulão, sempre fomos uma família foras das pistas. Foram grandes adversários e amigos em todos estes anos. Olha que são 19 títulos juntos”, brincou ao receber os amigos na coletiva.


Outro nome lembrado pelo campeão foi o de Carlos Col, campeão da Stock Light em 1993 e diretor presidente da Vicar, promotora da categoria. “Hoje sinto muito orgulho de como a Stock está. Sem dúvida, 90% do que a categoria é hoje é resultado do esforço e dedicação de Carlos Col.Quantas vezes ficamos montando credenciais no escritório sonhando com o dia que a categoria fosse um sucesso”, lembrou.


Ingo Hoffmann deixou claro que abandona as pistas, não o esporte. “Devo me dedicar mais ao rali como competição. Quanto à Stock Car, não sairei totalmente da categoria, pois vou atuar em outras áreas. Passarei um pouco da minha experiência para o Lico e Atila, ambos da equipe AMG. Espero que isso possa ajudá-los”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *