Stock Jr.: Toque entre conterrâneos impede dobradinha baiana em Salvador

Diego Freitas liderava a corrida deste domingo quando, a duas voltas do final, foi atingido na traseira por Patrick Gonçalves. Incidente resultou em punição por atitude anti-desportiva ao então segundo colocado.

Apenas duas voltas separaram os baianos de uma comemoração histórica nas ruas de Salvador, na primeira apresentação da Stock Car e de sua categoria de entrada, a Stock Jr., na Bahia. Com seis pilotos locais no grid, os mais de 60 mil torcedores que lotaram as arquibancadas e camarotes do circuito montado no Centro Administrativo da Bahia por muito pouco não viram seu principal representante erguer o troféu de vencedor da quinta etapa da Stock Jr. realizada em 2009.

Mesmo estreando na categoria e enfrentando pilotos com mais de dois anos de experiência nesses carros, Diego Freitas foi o nome do dia no circuito que desenhou especialmente para a Stock Car – atendendo ao pedido da Federação de Automobilismo da Bahia (FAB). Largando em terceiro, ele conseguiu duas boas ultrapassagens sobre Fabio Fogaça e Pedro Boesel para assumir o primeiro lugar, e caminhava para uma das vitórias mais importantes de sua carreira quando recebeu um toque de Patrick Gonçalves.

Em uma tentativa precipitada de ultrapassagens realizada na entrada da reta dos boxes, Patrick acabou acertando o conterrâneo de uma forma considerada desleal pela direção de prova – que puniu o segundo melhor representante local na Stock Jr. com o acréscimo de 20 segundos a seu tempo total de prova. Em razão da decisão, ele perdeu a terceira colocação conquistada na classe Master, destinada a pilotos com mais de 30 anos de idade.

Mesmo desolado com a perda da vitória diante da torcida, Diego ainda teve serenidade para avaliar positivamente a grande festa montada pelos baianos para receber o circo da Stock Car. E só lamentou o incidente em razão da perda de um resultado histórico para os pilotos do estado. “Naturalmente estou frustrado com o resultado de minha corrida, porque queria muito vencer correndo em casa, e estive muito perto disso”, falou Diego Freitas. “Ganhar posições em circuito de rua exige, naturalmente, um pouco de arrojo, mas também cabeça fria. E acho que faltou calma ao Patrick. Poderíamos ter feito uma grande festa baiana no pódio hoje, com uma dobradinha histórica. Foi mesmo uma pena”, completou.

O incidente entre os líderes abriu caminho para a vitória do piloto da Copa Vicar Cássio Homem de Mello, que fez boa prova de recuperação e partiu do sétimo lugar no grid para a vitória. Na classe Master, o melhor colocado foi o paulista João Marcelo.

Ídolo local – A realização de duas corridas de rua em Salvador reforçaram a paixão do público local pelo automobilismo, e a posição de Diego Freitas como ídolo local. Depois do abandono do baiano – ocorrido próximo ao camarote da Federação de Automobilismo da Bahia –, a maior parte dos convidados dessa área bateu em retirada e nem chegou a acompanhar o final da corrida. Parte desse grupo foi receber Diego nos boxes da Stock Jr.

“Se não fosse o grande apoio que recebi dos amigos, de minha família e também do público, eu certamente estaria bem mais chateado com a perda da vitória”
, admitiu o baiano. “Mas considero que dei 100% de mim neste final de semana, e se o resultado não se concretizou, alguma razão houve para isso. Saio de cabeça erguida e novamente focado em buscar os patrocínios necessários para me profissionalizar no automobilismo. Seria ótimo poder voltar ao CAB para competir, quem sabe numa próxima vez, pela Copa Nextel”, encerrou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *