Stock Light: Depois de dois anos e meio, categoria volta a Campo Grande

Última passagem pelo circuito foi em setembro de 2003 e

apenas um piloto do grid atual estava presente naquela prova.


Na memória dos torcedores sul-mato-grossenses, ainda está a lembrança de uma categoria que lutava pela própria sobrevivência, com apenas dez carros no grid e futuro incerto. O tempo, especialista em transformações, tratou de mudar as coisas. Dois anos e meio depois, a Stock Car Light está de volta a Campo Grande (MS) completamente modificada. Pegou carona no crescimento da categoria principal, transformou-se num campeonato forte, competitivo e repleto de pilotos promissores. O suficiente para surpreender quem for ao autódromo no domingo (21), acompanhar de perto a terceira etapa da temporada, marcada para às 12h30 no horário local.

           
Somente um piloto esteve presente durante todo o processo que elevou a Stock Car Light ao nível atual. É o paulista Paulo Bonifácio, que viveu a fase mais difícil da categoria e agora comemora o sucesso do campeonato entre os mais de vinte carros inscritos por prova. “A categoria cresceu junto com a Stock Car exatamente por servir de trampolim para campeonato principal. Aqui, o piloto pode ter o primeiro contato com um carro de tração traseira e motor V8, com 350 cavalos de potência, preparando-se para o futuro. O custo também é mais acessível, o que ajuda no processo e faz o investimento valer a pena”, analisa Boni, que faz sua quarta temporada na Stock Car Light.


           
A categoria, cada vez mais atrativa, trouxe novos pilotos, o que refletiu diretamente na pista. No ano passado, por exemplo, a disputa pelo título envolveu três candidatos e foi decidida somente na última volta da última corrida. Um cenário que deve se repetir em 2006. Por enquanto, quem saiu na frente foi o paulista Rafael Daniel, que soma 34 pontos, seguido de perto por Lico Kaesemodel, com 33. Marcos Gomes é o terceiro colocado com 25, empatado com Daniel Landi. Depois de um acidente na primeira etapa, Paulo Bonifácio foi o segundo colocado em Curitiba e começa a entrar nesta briga, com 20 pontos. Ele tem motivos para chegar a Campo Grande bastante confiante. 


           
Primeiro, por ser o piloto de maior experiência no circuito, onde disputou um total de três corridas. Duas pela Stock Car Light, em 2003, e uma pela categoria principal, em 2004. Depois, pelo bom histórico no traçado sul-mato-grossense. Na última passagem da Stock Car Light por Campo Grande, Boni subiu ao pódio em terceiro lugar. “Acredito que toda essa experiência pode representar uma vantagem e quero aproveitar a situação. Sou o único que conheço as reações do carro nesta pista, o que vai me dar um pouco mais de tempo para trabalhar no acerto durante os treinos livres”, afirma Boni.           


           
A primeira meta do piloto é terminar a corrida. Ele interrompeu, em Curitiba, uma série de abandonos (foram cinco em dez provas) que não deseja repetir. “São apenas nove etapas e o importante neste campeonato é manter a constância. Minha maior preocupação é com a curva depois da largada. É fundamental ficar longe dos acidentes, porque estou vivendo um bom momento e tenho chances de vitória”, comenta. Boni vem de uma boa estréia no FIA GT, pela classe GT3, em Silvertone, na Inglaterra, além de ter conquistado um pódio na etapa anterior da Stock Car Light.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *