Stock: Luciano Burti vence em Tarumã. Cacá Bueno é tri-campeão

Luciano Burti (Chevrolet/ Boettger) venceu neste domingo (22/11), em Tarumã, no Rio Grande do Sul, a 11ª etapa da temporada e 3ª dos Playoffs. Foi a primeira vitória de Burti na categoria. Com o quarto lugar Cacá Bueno (Peugeot/ W.A.Mattheis), sagrou-se campeão pela terceira vez (2006/ 2007 e 2009).

“Ser campeão em Tarumã, onde a Stock Car começou, de forma antecipada e com meu irmão no pódio. Não poderia ter sido melhor o final de semana”, declarou Cacá. “Ganhar esta categoria era um sonho, pois sempre quis correr ao lado de meus ídolos como Ingo Hoffmann, Chico Serra e Paulão Gomes. Já consegui três títulos e chegar no número de vitórias do Chico, e agora vamos tentar a mesma marca do Paulão. Este é o desafio para o futuro, mas sei que será bem difícil”, reconhece o tri-campeão.

Sem chuva, mas com a pista molhada, a prova começou em bandeira amarela e com o Safety-Car a frente dos carros por duas voltas. Com a bandeira verde agitada o pole-position Bueno manteve a ponta, com Ricardo Mauricio (Chevrolet /RC Competições), ultrapassando Daniel Serra (Chevrolet/ Boettger), assumindo a segunda posição.

Contudo Maurício, que tinha que terminar a frente de Cacá para manter as chances de conquistar o bi-campeonato, fez a ultrapassagem sobre Serrinha antes da linha de cronometragem, sendo punido. Pouco depois, com o pneu traseiro esquerdo furado, Maurício foi para a grama, conseguindo levar o carro até os boxes, abandonando. Sem precisar cumprir a punição, o paulista, em entrevista para televisão, acusou Serra de diminuir a velocidade de propósito, para beneficiar Cacá.

Bueno manteve a ponta até a abertura da janela de reabastecimento. Na hora da parada do líder, a emissora responsável pela transmissão cortou o sinal para mostrar uma competição de skate, retornando com Cacá já de volta a pista. Na volta seguinte Serra fez a sua parada.

Fazendo uma ótima prova, Burti aproveitou a pista livre à frente, para ganhar vantagem antes de sua parada nos boxes. O ex-piloto de F-1 contou com a sorte, pois no exato momento em que entrava nos boxes, na 24ª volta, o Safety-Car foi acionado, devido a uma escapada de Norberto Greese (Chevrolet/ Hot Car) na curva um, e a batida de Guto Negrão (Peugeot/ Full Time) na entrada dos boxes. Com o carro de segurança na pista Burti voltou em primeiro, a frente de Serra e Cacá.

Sem ter parado ainda Tarso Marques (Chevrolet/ Action Power), era o primeiro colocado. Na relargada Burti, Serra e Bueno ultrapassaram facilmente Marques. Pouco depois o Safety-Car entrou pela segunda vez, devido à batida de Giuliano Lossaco (Peugeot/ JF Racing), que parou o carro encima da barreira de pneus.   Já com bandeira amarela Nonô Figueiredo (Chevrolet/ Officer Pamplona’s), tocou em Thiago Camilo (Chevrolet/ Vogel), que rodou e abandonou.

As três primeiras posições não se alteraram na relargada. Numa disputa de posição, Tarso Marques tocou no carro de Felipe Maluhy (Peugeot/ Avallone), que parou fora da pista, acionado o terceiro Safety-Car. Após levar o seu Peugeot para o lado interno da pista, Maluhy esperou Marques passar, e ainda de capacete, gesticulou muito, claramente furioso com o rival.

Faltando duas voltas para o final, a prova recomeçou, com Burti mantendo a ponta. Na última volta Popó Bueno (Chevrolet/ Hot Car) ultrapassou o irmão, ganhando a terceira posição. 

“Venci pela primeira vez e isso é sempre especial. A expectativa era grande pois bati na trave algumas vezes e cheguei a pensar que não venceria este ano. Isso nunca tinha acontecido antes em toda a minha carreira, exceto a época da F-1. Agradeço à equipe que sempre trabalhou duro para que isso acontecesse”, destacou Burti.

Horas após o encerramento, a prova sofreu alterações no resultado final. Os comissários da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), após analisarem os protestos decidiram punir Daniel Serra com o acréscimo de 20 segundos em seu tempo final, por não ter mantido a velocidade na hora da largada, provocando a penalização de Maurício. Serra caiu da 2ª para a 14ª posição. Com isso Popó e Cacá passaram para segundo e terceiro. Já Tarso Marques foi desclassificado por atitude anti desportiva na disputa que resultou no abandono de Maluhy.

Com os resultados Cacá soma 286 pontos, 34 a mais do que Allan Khodair ((Peugeot/ Full Time), que terminou em 5º e assumiu a vice-liderança.

A última etapa acontece em Interlagos, em São Paulo, daqui a duas semanas.

Final:

1º) 14 – Luciano Burti (CV, SP), 38 voltas em 50:39.564 (média de 135.73 km/h)
3º) 74 – Popó Bueno (CV , RJ), a 2.078
3º) 0 – Cacá Bueno (P3 , RJ), a 3.185
4º) 80 – Marcos Gomes (CV , SP), a 5.424
5º) 18 – Allam Khodair (P3 , SP), a 5.645
6º) 6 – Alceu Feldmann (CV , PR), a 5.906
7º) 51 – Atila Abreu (CV , SP), a 6.814
8º) 63 – Lico Kaesemodel (CV , PR), a 7.154
9º) 20 – Ricardo Sperafico (P3 , PR), a 7.938
10º) 65 – Max Wilson (CV , SP), a 8.130
11º) 11 – Nonô Figueiredo (CV , SP), a 8.174
12º) 35 – David Muffato (P3 , PR), a 11.041
13º) 31 – William Starostik (CV , PR), a 11.531
14º) 29 – Daniel Serra (P3 , SP), a 20.250
15º) 99 – Xandinho Negrão (CV , SP), a 30.271
16º) 8 – Pedro Gomes (CV , SP), a 31.035
17º) 33 – Felipe Maluhy (P3 , SP), a 5 voltas
18º) 21 – Thiago Camilo (CV , SP), a 10 voltas
19º) 9 – Giuliano Losacco (P3 , SP), a 11 voltas
20º) 3 – Chico Serra (P3 , SP), a 11 voltas
21º) 7 – Thiago Marques (P3 , PR), a 11 voltas
22º) 27 – Guto Negrão (P3 , SP), a 15 voltas
23º) 44 – Norberto Gresse (CV , SP), a 15 voltas
24º) 15 – Antonio Jorge Neto (P3 , SP), a 20 voltas
25º) 23 – Duda Pamplona (CV , RJ), a 21 voltas
26º) 90 – Ricardo Mauricio (CV , SP), a 30 voltas
27º) 10 – Ricardo Zonta (P3 , PR), a 30 voltas
28º) 4 – Claudio Ricci (P3 , RS), a 32 voltas

Melhor volta: Marcos Gomes, 1:06.239 (163.91 km/h)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *