Stock: Muffato termina em 12º na abertura da temporada

David Muffato completou a corrida em 12º depois de partir dos boxes. Antonio Jorge Neto perdeu o capô e teve prova comprometida.

Neste domingo, Interlagos, São Paulo, recebeu a etapa de abertura 2009 da Copa Nextel Stock Car. Foi o inicio de mais uma geração de carros da categoria. E um problema nos novos carros mudou muito a história da corrida. Para a equipe Itaipava Racing Team, a prova rendeu 4 pontos, com o 12º lugar de David Muffato (Itaipava/Pilão/Neve). A vitória foi de Paulo Salustiano.

 

Os novos carros da Stock ainda apresentam alguns problemas na parte mecânica e de montagem. Antes mesmo do inicio da corrida, Muffato teve problemas na direção hidráulica e não foi para o grid. “Preferimos de maneira inteligente permanecer nos boxes até resolver o problema. Foi tudo muito bem feito e completei a corrida sem problemas mecânicos”, disse Muffato. Largando dos boxes (32ª colocação), Muffato foi para cima. Mas logo no inicio recebeu algumas batidas que comprometeram o alinhamento do carro. Mesmo com as dificuldades, principalmente de calor dentro do carro, o piloto da Itaipava, realizou uma excepcional prova e terminou em 14º. Depois de algumas punições ele foi promovido a 12º colocado. “Meu carro estava muito bom. Infelizmente recebi uma batida e meu carro ficou muito desalinhado, dificultando a pilotagem. Mas o maior problema foi o calor dentro. Na metade final da corrida estava sentido meu corpo queimar no banco e nas pedaleiras. É a primeira vez que usamos este banco de alumínio e ele esquenta muito. Estou com queimaduras em varias partes do corpo. Mas fiquei muito feliz com o resultado. Partir em ultimo e marcar pontos foi muito bom”, comentou Muffato.

 

Antonio Jorge Neto (Itaipava/Eurofarma/Pilão), que partiu em 18º, sofreu com o maior problema da corrida: o “capô voador”. Quase 10 pilotos tiveram o capô voando durante a corrida. As presilhas que seguram a peça não agüentaram o ritmo de corrida. Logo no inicio Neto perdeu seu capô e conseqüentemente posições. Após o reabastecimento obrigatório, ele entrou para o boxe para repor a peça. Mas quando faltavam três voltas Neto abandonou. “O capô voando foi um erro no projeto do carro novo. A peça não agüentou o ritmo de corrida. Mas o que mais me chamou a atenção foi a reação do carro com pneus novos. Nas voltas de aquecimento, com pneus usados, meu carro estava muito bom. Quando colocamos um jogo de pneus zero para a corrida meu carro ficou totalmente desequilibrado.  Aprendemos alguma coisa e colhemos dados da telemetria. Vamos buscar as respostas”, comentou o piloto Itaipava Racing Team.

 

Eduardo Bassani, engenheiro do time, elogiou a corrida de seus pilotos. “O David praticamente queimando dentro do carro chegou à marca dos pontos depois de partir em ultimo. Foi uma corrida de superação. Já o Neto, além do problema do capô, que vários outros pilotos também tiveram, ele sofreu com o desempenho dos pneus novos. O carro dele ficou muito difícil de guiar. Vamos analisar tudo para ver o que aconteceu”, disse o engenheiro.

 

Ao final da corrida quatro pilotos foram excluídos porque não pararam para repor o capô que escapou durante a corrida. Inclusive Ricardo Zonta, que venceu, mas cruzou a linha de chegada sem capô e foi desclassificado. A próxima etapa da Copa Nextel acontece em Curitiba, Paraná, no domingo de Páscoa, dia 12 de abril.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *