Stock: Negrão espera por mudança no Peugeot 307

CBA deve responder em Curitiba à consulta feita pelo piloto em Interlagos.

A Confederação Brasileira de Automobilismo deve responder neste fim de semana à consulta formulada por Guto Negrão (Vivanz) sobre uma eventual alteração no posicionamento da asa traseira dos Peugeot 307 que estrearam na Stock Car V8 na abertura da temporada em São Paulo. Esta, pelo menos, é a expectativa do piloto paulista, que em Interlagos havia procurado Nestor Valduga, presidente do Conselho Técnico-Desportivo Nacional, e o comissário técnico Clóvis Matsumoto para se queixar da pouca eficiência do apêndice aerodinâmico.

“Eles prometeram estudar medidas que possam reduzir o nosso prejuízo. Em minha opinião, a asa traseira deve ser empurrada para trás e ter a altura reduzida. Da forma como está, só estamos conseguindo aumentar o arrasto do carro”, justificou Negrão, que conquistou exatamente no Autódromo Internacional de Curitiba – Pinhais as duas vitórias na categoria, ambas em 2003. “Os carros com carroceria do Peugeot 307 são três quilômetros mais lentos que os concorrentes”, assegurou.

Negrão entrou em 2007 animado com a inclusão nos playoffs decisivos no ano passado e a 8ª colocação final. Mas enfrentou uma quantidade inesperada de contratempos que o remeteram ao 36º lugar no grid e provocaram seu abandono antes da metade da primeira corrida. “Cerca de 90% dos meus problemas foram relacionados ao motor. Usei três motores entre a sexta-feira e o domingo, mas nem assim conseguimos ser competitivos”, relatou. “Conversamos bastante com o pessoal da empresa que faz a manutenção e temos confiança de que tudo voltará ao normal no Paraná”, completou.

A volta ao circuito que lhe traz as melhores recordações não ocorre num momento favorável, admite Negrão. “A melhor pista é sempre aquela onde seu carro anda bem”, observou. Ao menos neste início de campeonato, o campineiro de 47 anos imagina que as dificuldades para se colocar no grupo dos 10 que decidiriam o título nas últimas quatro etapas serão superiores às de 2006. “Chegaram vários pilotos e equipes novos, mas de maneira geral o nível é parecido com o do ano passado. O problema é que, se não aumentarmos rapidamente a competitividade do carro, os pontos que deixamos de conquistar agora podem fazer falta mais à frente”, ponderou.

A pista da capital paranaense será aberta nesta sexta-feira às 10h30 para a primeira sessão de ensaios de 90 minutos com limite de 20 voltas por carro. A segunda, nos mesmos moldes, está marcada para as 13h30. As tomadas classificatórias serão realizadas sábado. A primeira classificação, das 10h50 às 12h20, determinará os 10 mais rápidos que decidirão a pole das 12h50 às 13 h. Domingo, com transmissão ao vivo da TV Globo, a largada será autorizada às 11 horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *