Stock: Nova chicane em Interlagos divide pilotos da Stock Car

Pneus Goodyear estréiam e agradam nos primeiros testes do ano.

Criada para evitar a repetição de acidentes como o que matou o Raphael Sperafico no encerramento do calendário da Stock Car Light em 2007, a improvisada chicane da Curva do Café dividiu os pilotos que participaram da abertura dos testes de pré-temporada da Stock Car V8 nesta quarta-feira em Interlagos. A maioria elogiou os cuidados com a segurança adotados no circuito no rastro da tragédia que roubou a vida do paranaense, mas acredita que a chicane poderá passar por alterações para a primeira etapa do campeonato, marcada para 13 de abril.


De uma forma geral, o consenso é de desconsolo pelo seccionamento do traçado. “O ideal seria que o desenho permanecesse igual, mas entendo a preocupação com a questão da segurança, ainda mais depois de um episódio como aquele com o Raphael Sperafico. O problema é que há um ponto cego na aproximação. Está difícil de ver os pneus colocados no lado esquerdo”, afirmou Guto Negrão, que começou uma nova vida pela Vogel/Texaco depois de sete anos pela Equipe Medley.


Quarto colocado e melhor estreante do ano passado, Marcos Gomes elogiou a idéia de se reduzir a velocidade num ponto rápido e sem área de escape de Interlagos. “A chicane foi pensada em nome da segurança. E acredito que ela está cumprindo o seu papel. Agora, estamos passando por aquele ponto em segunda marcha e os tempos de volta subiram comparados com os do traçado antigo”, lembrou. Ricardo Maurício, ganhador da abertura do campeonato em 2007, manifestou preocupação durante a corrida. “A chicane é estreita, exatamente para permitir a passagem de um carro por vez. Talvez seja complicado quando chegarem vários carros ao mesmo tempo”, observou Maurício, de visual renovado – está usando barba ao estilo Nick Heidfeld, da BMW.


Os ensaios de hoje marcaram também o batismo dos pneus Goodyear, importados dos Estados Unidos no ano de estréia da empresa na Stock Car. Os compostos parecem ter caído nas graças dos pilotos. “A frente do carro, um problema crônico na última temporada, melhorou muito. Estes pneus devem ser um segundo mais rápidos que os anteriores e com desgaste menor”, elogiou Gomes. Maurício também se disse satisfeito com o comportamento dos pneus. “Só notei uma tendência de desgaste maior dos pneus traseiros, mas nada que não possa ser corrigido com um acerto melhor.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *