Stock: Paulo Salustiano tem boas lembranças de Tarumã

O piloto da M4T/WAS já venceu corrida no autódromo gaúcho e espera que as condições de tempo não mudem durante o fim de semana.

Com boas lembranças do rápido e desafiador circuito de Tarumã, o paulista Paulo Salustiano (Inpacom/Nicoboco/Sawary/RedeTV) chega com otimismo para décima etapa da Copa Nextel Stock Car, disputada no próximo domingo (28/10). “Gosto muito do traçado e lá já venci corrida na Fórmula Renault”, lembra o piloto da M4T/WAS Motorsport. A prova disputada nos arredores de Porto Alegre terá transmissão ao vivo da Tv Globo, a partir das 10h55.

Paulo Salustiano também teve bom desempenho na única vez que correu pela Stock na pista gaúcha. “No ano passado fomos bem, só tivemos um pouquinho de problemas com os pneus importados durante os treinos. Acho que dessa vez isso não vai acontecer”, conta o piloto. “Na corrida nosso carro era equilibrado”, completa.

Com alta competitividade e mais de 50 inscritos em cada prova, conseguir uma das 38 vagas no grid de largada se torna cada vez mais difícil na categoria. Principalmente no pequeno e veloz traçado gaúcho de 3.016 metros, que permite que os Stock Car atinjam médias horárias de 170 km, e onde a maioria dos pilotos deve andar dentro do mesmo segundo. O tráfego intenso durante toda a classificação também pode dificultar ainda mais a vida dos competidores.

Mas a maior preocupação do piloto da Inpacom/Nicoboco/Sawary/RedeTV é com a possibilidade de o tempo ficar instável. Na sexta-feira o céu deve ficar aberto, mas existem chances de chover no sábado, durante a definição das posições de largada, e no domingo, na hora da corrida. “Este ano tivemos problemas no acerto do carro quando houve mudança radical de tempo durante o fim de semana. Ainda temos pouca base de dados para termos uma agilidade maior na troca de configuração do carro”, explica ‘Salú’.

A corrida de Tarumã pode significar a volta aos primeiros lugares para a M4T/WAS. Após um início de ano razoável, Salustiano conseguiu andar regularmente entre os 10 primeiros colocados. Mas alguns acidentes e outros problemas o impossibilitaram de pontuar nas últimas corridas. “Viemos crescendo durante a temporada, mas nas três últimas provas tivemos problemas. Precisamos retomar o fio da meada”, diz Miguel Ferreira, chefe da equipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *