Stock: Pilotos da Vogel tem prova difícil em Brasília

“Mesmo largando de 17º lugar dava pra brigar pelo pódio”, disse um extenuado e frustrado Thiago Camilo ao fim da 10ª etapa da temporada e segunda do playoff, enquanto era saudado por equipe, jornalistas, amigos e família pela espetacular corrida, largou dos boxes, em 34º e último lugar, para chegar em 10º.

Thiago Camilo teve em Brasília seu fim-de-semana mais complicado na temporada 2008 da Copa Nextel. Na sexta-feira, piloto e equipe tiveram muitas dificuldades para acertar o carro para o anel externo de 2919 metros. Isto refletiu no treino de classificação. “Acabamos os treinos livres de sexta-feira longe do acerto ideal, e entramos sábado meio no escuro para a classificação. Encontramos um bom equilíbrio para o carro quando faltavam cinco minutos para o fim do Q1 (primeira sessão classificatória, que define os 15 pilotos que continuarão brigando pela pole position). Saí com um jogo de pneus novo e cometi um pequeno erro no primeiro trecho, fiz o resto da volta muito bem, mas não foi suficiente para ficar entre os quinze”, explicou Camilo, que alinhou em 17º lugar no grid. Mas um vazamento de óleo momentos antes de a placa de cinco minutos para a largada ser mostrada indicou que os problemas do fim-de-semana não haviam acabado. O carro foi levado para o box da Texaco Vogel e consertado, mas teve que largar do pit lane. “O carro estava muito bom durante a corrida quase toda. Consegui ultrapassar todo mundo que estava pela frente nos dois primeiros terços, mas obviamente forcei muito o carro para chegar na zona de pontos, e no fim ele estava bem difícil de guiar. É uma pena saber que teríamos carro para continuar brigando pelo campeonato, que agora está muito distante. Vamos para Tarumã, que é uma pista que gosto muito, pensando em fazer o máximo, pensando na vitória, independentemente da tabela de pontos”, disse Camilo, que se manteve em terceiro no campeonato, e com 50 pontos em jogo, está 32 atrás do líder, Ricardo Maurício. 


Giuliano Losacco conseguiu se manter em quarto lugar na temporada e ainda diminuiu sua diferença para o terceiro, Thiago Camilo, para sete pontos. O bicampeão da Stock Car (2004/2005) largou em 13º lugar, teve um bom carro na primeira metade da corrida, ganhou posições, mas não conseguiu atacar o “bolo de adversários” que estava na sua frente nas últimas voltas – a diferença entre o oitavo e o terceiro colocados foi de apenas 1,3 segundo. “No fim meu pneu traseiro esquerdo simplesmente acabou. Foi uma pena porque fiquei assistindo aquele bolo ali na minha frente trocando de posições e não consegui atacar”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *