Stock: Pneu de Thiago Marques fura e piloto escapa ileso de acidente a 200 km/h

Piloto da Cimed Racing fazia excelente prova, na sexta colocação, quando o pneu de seu Volkswagen Bora estourou em um ponto perigoso da pista.

A sétima etapa da Stock Car, disputada hoje em Curitiba, confirmou a previsão de que a corrida seria das mais acirradas do ano, com várias brigas por posição e também muitos acidentes.

Um dos mais sérios ocorreu com Thiago Marques, da Cimed Racing. O paranaense era o melhor representante local e animava a torcida com um bom sexto lugar até que o pneu esquerdo de seu Volkswagen Bora estourou em um dos pontos mais perigosos do circuito, entre a saída da Curva da Vitória e a entrada da Reta dos Boxes.

Com pouca área de escape neste ponto, o carro de Marques (Cimed-Sky-Alpina) foi projetado direto para o muro, a mais de 200 km/h, e ainda voltou para a pista, bem na trajetória onde os pilotos entram para rasgar a reta. O paranaense só pôde sair do carro após o acionamento do Safety Car. Felizmente, o piloto nada sofreu.

“Este tipo de problema de pneu acontece, é uma falta de sorte, mas o importante é que o novo carro mostrou ser competitivo e que poderemos andar bem nas próximas etapas”, disse Thiago. “Além disso, o acidente poderia ter tido sérias conseqüências, bati a 200 km/h sem nenhuma chance de corrigir no volante, por conta do estouro do pneu. A desaceleração foi muito forte e o carro ainda voltou para a pista, com a porta voltada para a linha de trajetória, com os outros pilotos passando perto. Graças a Deus estou inteiro”, comentou o paranaense.

Para a próxima corrida, em Brasília, o piloto da Cimed Racing está otimista. “As pistas têm as mesmas características daqui. O carro deve ter bom rendimento lá também, o que me renova o ânimo daqui para frente”, completa Marques.

Luciano Burti (Cimed-Brasil Telecom-Sky) teve um problema de embreagem ainda na largada. “Sabia que teria de fazer uma corrida conservadora, para marcar alguns pontos. Vinha bem na prova, fiz ultrapassagens e, mesmo sem a embreagem, estava no ritmo dos dez primeiros. De repente, quebrou a alavanca de câmbio e tive que ir para os boxes”, disse Burti, que perdeu três voltas no pit para consertar o problema e, por isso, terminou a prova em 21º.

Antes de Curitiba, Burti estava dentro do grupo dos dez primeiros do campeonato, que a partir da nona etapa seguem na disputa do título em forma de playoff. Com os resultados de hoje, o piloto da Cimed Racing saiu deste grupo, mas está a apenas três pontos deste top-10, em 11º.

“Na próxima corrida, cada pontinho será crucial. A esperança de classificar segue a mesma, obviamente se não tivéssemos o problema aqui teríamos melhores condições, mas isso faz parte do automobilismo”, completou Burti, que amanhã participa da transmissão da F-1 pela TV Globo.

Para o diretor-técnico da Cimed Racing, Paulo de Tarso, o final de semana sem pontos não refletiu o verdadeiro potencial da equipe em Curitiba. “Após levar um toque na traseira, a carenagem do carro do Thiago estava raspando no pneu e isso deve ter contribuído para este desgaste prematuro. No caso do Luciano, houve o problema da embreagem e do câmbio, mas o importante é que estamos competitivos com nossos dois carros e seguimos com boas chances de entrar no playoff”, comentou.

A próxima etapa do campeonato, que define os dez pilotos que seguirão na luta pelo título no playoff das quatro provas finais, será realizada no próximo dia 23, em Brasília.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *