Stock: Pneu furado tira pódio de Burti, mas não o otimismo da equipe

Luciano Burti foi um dos sete pilotos que tiveram pneu furado hoje e Thiago Marques foi atingido por acidente na largada; ainda assim, pilotos ressaltam bom desempenho do time desde Londrina.



Pela segunda vez seguida em Curitiba, um pneu furado rouba a chance de vitória de Luciano Burti (Petrobras-Cimed-Pakalolo-Brasil Telecom) na Stock Car. Em abril, o paulista largou na pole position. Hoje, ele saiu na terceira colocação, quando na quinta volta o estouro do pneu o obrigou a entrar nos boxes e perder uma volta. Apesar da frustração pela oportunidade de pódio perdida, Burti saiu satisfeito com a performance do carro e da equipe em Curitiba.


 


“Pode parecer estranho, mas não estou frustrado por mais uma chance desperdiçada. Estou feliz em ver que as mudanças que fizemos em Londrina surtiram efeito e o carro está andando muito bem desde então. Hoje sem dúvida tinha condição de brigar pela liderança. Estava num bom ritmo, mesmo sem forçar o conjunto. De repente, na quinta volta, o pneu estourou. Mesmo depois da troca, o carro continuava excelente e o meu ritmo era superior ao dos líderes em muitas voltas”, explica Burti.


 


Segundo o diretor da Petrobras-Action Power, Paulo de Tarso, a equipe se reuniu com técnicos da fornecedora dos pneus da Stock Car para entender o que causou o furo. Outros seis carros tiveram o mesmo problema, que também pode ter sido causado por excesso de detritos na pista decorrente de acidentes ainda na primeira volta da prova.


 


“Infelizmente tivemos outra corrida em Curitiba perdida nesta circunstância. É importante ressaltar que, mesmo sem os resultados, o astral da equipe está melhor nas últimas corridas. Estamos com os carros andando entre os primeiros e sem dúvida temos condições de reverter esta seqüência de revezes nesta temporada”, comenta Paulo de Tarso.


 


O discurso é repetido pelo piloto Thiago Marques (Petrobras-Cimed-Prevyne-Alpina), outro desafortunado na prova em Curitiba. Ainda na largada, Ingo Hoffmann levou um toque de Ricardo Maurício e os dois acabaram prensando o paranaense no muro da reta dos boxes.


 


“Minha corrida não durou nem dez metros, então realmente por este ponto o dia foi para ser esquecido. Hoje tinha tudo para fazer uma prova para terminar entre os primeiros, fui um dos mais rápidos com pneus usados nos treinos de sexta. Por outro lado, o desempenho da equipe melhorou muito desde as mudanças feitas na etapa passada e sei que um bom resultado virá mais cedo ou mais tarde”, comentou Marques.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *