Stock: Ricardo Maurício ganha prova tumultuada no Velopark

Batidas, confusões, entradas do safety car e protestos marcaram etapa da Stock Car

A terceira etapa da temporada 2010 da Stock Car no mais novo circuito do calendário da categoria foi marcada por muita confusão na vitória de Ricardo Maurício (RC) que tomou a ponta na parada nos boxes e não largou mais. Átila Abreu (AMG), novo líder da classificação, e Julio Campos (JF Racing) completaram o pódio da prova na qual a direção teve de acionar a entrada do safety-car em cinco oportunidades. “Fiquei sempre entre os seis primeiros aqui no Velopark desde o início dos trabalhos e hoje eu tive uma corrida perfeita. Nos boxes, trocamos apenas dois pneus e a estratégia do Meinha (chefe de equipe) deu certo. Se tivesse sido os quatro o Átila, com certeza, iria me passar porque não trocou nenhum”, declarou o vencedor.

Aliás, a vitória de Ricardo Maurício esteve ameaçada depois da prova. O procedimento de reabastecimento contou com irregularidades, já que a equipe do vencedor realizou a troca de pneus com 10 mecânicos, quando o limite do regulamento geral da categoria autoriza 9 integrantes a participar da troca. Entretanto, o regulamento particular da prova garantia a possibilidade de usar um mecânico a mais. A direção de prova, depois de analisar o protesto e ouvir as explicações do Meinha, chefe da equipe RC, decidiu aplicar uma multa à equipe no valor de 10 UP (unidade de padrão), que convertidos valem cerca de R$ 2.000,00. Por isso, o resultado oficial da corrida no Velopark só foi confirmado por volta das 15h20 (de Brasília).

A largada, ao contrário do que muitos esperavam, não contou com acidentes ao final da grande reta. Mas logo nas primeiras voltas a direção de prova teve de acionar o carro de segurança por conta de batidas e escapadas em várias partes do circuito. Xandinho Negrão, da Equipe Medley, foi um dos destaques no traçado de 2.162 metros. Ele saiu do 17º lugar e cruzou a linha de chegada em 9º após trabalhar pesado para escapar dos enroscos e batidas à sua frente. O excelente trabalho feito pela Equipe Medley na parada nos boxes foi fundamental no progresso durante a prova. Ele ganhou quatro posições no reabastecimento.

“A prova foi intensa, difícil, porque o circuito tem curvas estreitas e tem só dois quilômetros. O cuidado a cada volta teve de ser redobrado”, garantiu. “Nossa preocupação inicial aqui era com os freios, e fomos para a pista com a ideia de poupá-los ao máximo. Mas as entradas do safety car atenuaram esse problema. A parada nos boxes foi perfeita, a equipe trabalhou muito bem.” Quem teve desempenho ruim no reabastecimento foi Valdeno Brito (Boettger), o pole position. O “Expresso da Paraíba” entrou nos boxes em primeiro lugar, demorou mais tempo que os rivais e caiu para o quinto lugar. Na volta 33 ele perdeu rendimento e abandonou com problemas no câmbio.

Rodadas, escapadas e batidas também marcaram a disputa, tanto que apenas os 16 primeiros terminaram na mesma volta do líder. O que deixou o Xandinho Negrão impressionado foi a atitude de alguns pilotos que estavam mais de uma volta atrás do líder. “Acho um absurdo o Pedro Gomes, por exemplo, continuar no meio de quem estava realmente brigando por posições. Por mais que exista a bandeira azul para indicar isso ao retardatário, é preciso ter consciência para perceber quando o piloto está atrapalhando os outros”, desabafou Xandinho.

O momento mais chocante da prova foi quando o carro de Constantino Júnior pegou fogo. O piloto conseguiu sair rápido do carro e não teve problemas, mas o fogo consumiu boa parte do carro da equipe Amir Nasr. Ao final da prova, os mecânicos e engenheiros ainda trabalhavam para descobrir a causa do problema. O mesmo problema enfrentou Christian Fittipaldi. Alguns dos outros pilotos que tiveram problemas: David Muffato que bateu no final da reta principal com Allam Khodair, Pedro Gomes acabou rodando e Alan Hellmeister o acertou em cheio, Marcos Gomes teve o pneu estourado e abandonou, Max Wilson (RC) foi acertado por Alceu Feldmann (RCM) e também saiu da prova. Por isso, a etapa no Velopark foi, de longe, a mais movimentada e confusa até agora na temporada.

A próxima etapa da Stock Car será no circuito de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, dia 23. Para Xandinho Negrão, a corrida será fundamental em sua arrancada em busca de uma vaga na Superfinal. “Aqui no Velopark o campeonato começou de verdade para mim. Já tenho um descarte dos dois programados até a Superfinal e estou confiante que a partir do Rio de Janeiro as coisas vão melhorar”, falou o piloto da Equipe Medley, 18º no campeonato com 18 pontos, empatado com Thiago Camilo. A liderança da temporada é de Átila Abreu, que tem 49 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *