Stock: Ricardo Maurício rebate críticas de Hoover Orsi

Em Buenos Aires, onde testaria nesta segunda-feira o Toyota com o qual correrá domingo a etapa do Campeonato Argentino de TC 2000, o piloto Ricardo Maurício (Medley) manifestou surpresa com as declarações de Hoover Orsi (Red Bull Racing) ao final da prova de ontem em Brasília. Depois da vitória que o colocou nos playoffs decisivos, Orsi reclamou das fechadas e batidas que teria recebido e classificou como “desleal” o toque que levou de Maurício.

“Cometi um erro, assumi e pedi desculpas para ele nos boxes. Naquele momento, eu estava preocupado com a pressão do Ricardo Sperafico, a quem procurava pelo retrovisor. De repente, vi a traseira do carro do Hoover crescendo à minha frente. Pisei forte no freio, as rodas travaram e o choque aconteceu. Não houve má-fé de minha parte. Eu nem precisava forçar a barra, porque minha situação no campeonato já estava definida e nada mudaria meu segundo lugar na classificação”, explicou Maurício. Pouco depois, ele mesmo abandonaria ao sair reto em direção à barreira de proteção da Curva da Vitória ao ser tocado por trás por Ruben Fontes.

Maurício disse que até torceu por Orsi. Só a vitória poderia classificar o sul-matogrossense à fase final do campeonato, junto com uma combinação favorável de resultados que acabou vingando “Não queria que ele ficasse de fora e usasse o incidente como justificativa. Mas achei estranho que, depois de conquistar o que muitos julgavam improvável, tenha preferido me atacar a comemorar o feito”, afirmou.

Vencedor na abertura do calendário em Interlagos e vice-líder das seletivas, o que lhe garante 221 pontos no início dos playoffs, Maurício acredita que Orsi pode estar ainda guardando mágoa de incidente ocorrido na terceira etapa. “Corremos juntos há muito tempo e sempre tivemos uma ótima relação. Fui campeão brasileiro de Fórmula Ford em 1995 e o Hoover foi vice. Depois nos reencontrarmos no Masters de Fórmula 3 na Holanda e num teste de Fórmula 3000 na Europa. O que houve em Campo Grande foi um contato normal. Ele achou que fui o responsável, eu achei que foi ele, e ficou por isso mesmo. De minha parte, vai continuar tudo do mesmo jeito. Respeito muito o Hoover e tenho certeza de que, no fundo, ele sabe que não fiz nada por maldade em Brasília.”

Maurício e Thiago Camilo, terceiro colocado do campeonato, formam a dupla de pilotos convidados pela equipe oficial da Toyota para correr com o modelo Corolla nos 200 Km de Buenos Aires, prova mais nobre do calendário da TC2000. Maurício terá como parceiro Norberto Fontana, que correu pela Sauber na Fórmula 1 em 1997, enquanto Camilo será companheiro de Nestor Furlan, tetracampeão da Fórmula 3 nos bons tempos da categoria nos anos 80 e 90.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *