Stock: Serrinha quebra tabu em dia de recorde na Stock Car

Xandinho Negrão encosta no Top 10 e acirra briga pelas últimas vagas aos playoffs.

Foram preciso 31 corridas para Daniel Serra (Red Bull) finalmente vencer pela primeira vez na Stock Car. E o dia não poderia ser mais positivo para a categoria, diante das arquibancadas lotadas do Autódromo de Jacarepaguá: Serrinha foi o 7º ganhador em igual número de corridas nesta temporada, novo recorde desde a introdução dos motores V8 em 2001. Além de subir para a 7ª posição e se aproximar da vaga aos playoffs decisivos, o filho do tricampeão Chico Serra garantiu a dobradinha da equipe ao cruzar a linha de chegada à frente do companheiro e pole Cacá Bueno.

Na Stock Car desde 2007, Serrinha mostrou serenidade na avaliação do resultado. Terceiro no grid, ele foi beneficiado pelos problemas com os rivais que largaram na frente e principalmente pelo excelente trabalho da equipe no pit stop para troca dos pneus traseiros e reabastecimento. “Sabíamos que a corrida seria difícil, porque o desgaste dos pneus aqui é sempre alto. Felizmente, fiz uma parada muito rápida e consegui voltar na frente. Fico contente porque foi aqui que conquistei minhas primeiras vitórias de fórmula e na Stock Car Light”, comentou.

O sexto lugar na corrida levou Xandinho Negrão (Medley) a dividir a 11ª colocação com Thiago Camilo (Vogel/Ipiranga), que chegou logo atrás e soma os mesmos 33 pontos, apenas um a menos que o 10º – Allam Khodair (Full Time). Apesar de sair em segundo e tomar a ponta na largada, Khodair abandonou e perdeu a chance de garantir passagem à fase decisiva por antecipação. “O resultado foi muito bom. Pena que as desistências foram poucas. Para chegar aos playoffs vamos ter de manter o ritmo das últimas provas daqui a duas semanas em Campo Grande”, lembrou Xandinho.

Graças à eficiência da Equipe Medley no pit stop, Xandinho – oitavo no grid e na primeira metade da corrida – retornou à pista em 4º. Mas não pôde evitar as ultrapassagens de Ricardo Maurício (RC) e Marcos Gomes (RCM). “Ricardinho estava muito mais rápido do que eu. Acho que meu motor não estava rendendo tão bem quanto o dele”, acrescentou.

Enquanto Xandinho fazia uma ótima largada e conservava a posição apesar da desvantagem de sair pelo lado externo, o companheiro William Starostik tinha a corrida comprometida ainda na volta inicial. “Levei uma batida que soltou a trava do capô. Quando vi que o capô começou a bater demais, achei melhor parar para que os mecânicos reparassem o problema. Foi uma pena, porque depois pude imprimir um ritmo forte”, lamentou o paranaense, que acabaria registrando a segunda volta mais rápida da prova.

Com os resultados deste domingo, apesar de alguns pilotos ainda se apegarem às possibilidades matemáticas, devem restar não mais de três vagas na definição da fase classificatória em Campo Grande. Cacá Bueno já assegurou a condição de primeiro colocado na tabela de pontos que passará a vigorar nas superfinais das últimas quatro corridas de 2009.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *