Stock: Thiago Marques passa bem depois de acidente a 250km/h

Falha no freio causou acidente; equipe solicitará mudança na grade da nova carroceria que estreou neste final de semana.



O maior susto da primeira etapa da Stock Car, disputada hoje, em Interlagos, aconteceu na nona volta, no ponto de maior velocidade do circuito: o final da reta dos boxes. Com problemas de freio, o carro de Thiago Marques saiu desgovernado a mais de 250 km/h e acabou atingindo outros dois competidores, Popó Bueno e Mateus Greipel. Todos saíram ilesos, mas Thiago foi encaminhado ao centro médico do Hospital São Luiz em Interlagos.


 


Apesar da gravidade e alta velocidade da batida, o paranaense não sofreu nenhuma fratura, sentindo apenas fortes dores musculares em razão do forte impacto que sofreu no momento do acidente.


 


“No meio da corrida, percebi que o freio estava perdendo eficiência, mas logo na volta seguinte, no final da reta dos boxes, pisei no pedal e o carro simplesmente não parou. Eu vinha a mais de a 250 km/h. Como tinham dois carros na minha frente, tentei desviar fazendo um pêndulo com o volante para colocar o carro por dentro da curva e deixá-lo de lado, para evitar uma batida direta. Graças a Deus deu para escapar de uma pancada maior, mas mesmo assim foi um grande susto”, descreve Marques.


 


O piloto sentiu tontura ao sair do carro e foi auxiliado pelos próprios companheiros da Stock envolvidos no acidente, que logo perceberam que a saída de Thiago foi causada por falha mecânica.


 


“Fiquei muito grato ao Mateus Greipel e ao Popó Bueno. A atitude deles foi sensacional, ainda mais porque vi que eles nem pensaram em lamentar a saída da prova e se preocuparam em ver se eu estava bem”, diz Marques, citando os dois pilotos, que ficaram com Marques até a chegada da ambulância. Thiago ficou em observação por cerca de uma hora. “É um procedimento padrão, felizmente nada de sério aconteceu com o Thiago”, afirmou o doutor Pedro Rozolen, coordenador do centro médico do São Luiz.


 


A Petrobras-Action Power ainda está investigando o caso, mas a primeira avaliação é de que houve falha no sistema de refrigeração dos freios. “Temos que analisar o que causou este problema, que atinge não apenas a performance, mas também a segurança dos pilotos”, afirma Paulo de Tarso, diretor-técnico da equipe.


 


O time, que usa a nova carroceria da Stock, do Volkswagen Bora, inclusive irá propor uma pequena alteração na entrada de ar do carro. “No Mitsubishi, existe apenas o emblema da marca, enquanto nos outros dois há uma grade que pode estar interferindo no fluxo tanto que vai ao motor quanto o que refrigera os freios”, aponta Paulo de Tarso.


 


A equipe irá trabalhar intensamente em sua sede em Curitiba a fim de preparar um novo chassi para Marques, já que o de hoje ficou inutilizável. Apesar das dores, o paranaense garante que participa da próxima etapa, no dia 30, em sua cidade natal.


 


O dia também não foi bom para Luciano Burti. Fazendo sua estréia pela equipe campeã por pontos no ano passado, o ex-piloto da F-1 teve problemas na caixa de direção, falhas no motor e, por fim, uma quebra no câmbio. Tantas adversidades abreviaram sua primeira corrida de 2006.


 


“Infelizmente deu tudo errado neste final de semana. Que os problemas que enfrentamos aqui nos deixem um importante aprendizado a fim de melhorar nossa performance já na próxima etapa, em Curitiba”, diz Burti, que foi o mais rápidos nos testes de pré-temporada realizados em Interlagos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *