Stock: Treinos coletivos reúnem 45 pilotos da V8 em Interlagos

Troca dos pneus importados por nacionais deixou os carros mais lentos em cerca de três segundos.

Os motores da Stock Car roncaram pela primeira na temporada nesta terça-feira (17), no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Reunindo as três categorias que compõem o evento, os testes coletivos que abriram a programação deste ano marcaram o contato inicial das equipes com os novos pneus nacionais adotados pela categoria – que substituem os lotes importados usados até o ano passado –, e foram caracterizados por um intenso trabalho de busca pelo melhor acerto aos novos compostos.

Na equipe Boettger, dos pilotos Allam Khodair e Alceu Feldmann, a maior preocupação foi a adaptação do set up do carro às novas condições de aderência, que farão diferença principalmente em ritmo de corrida. “Fizemos um bom treino e conseguimos boa velocidade”, declarou Khodair, que ficou entre os dez mais rápidos nas duas sessões do dia. “Mas, depois de algumas poucas voltas, os pneus se desgastam e o carro muda bastante. Certamente vamos trabalhar a semana toda buscando constância para que possamos terminar a primeira corrida do ano já com um bom resultado”, declarou Khodair.

Os treinos desta terça-feira em Interlagos deram a dimensão do que será a Stock Car em 2007. A categoria, que teve média de 40 carros no grid do ano passado, ficou ainda maior e reuniu 45 pilotos no circuito paulista. Estes, no entanto, não representam a totalidade dos inscritos até o momento, que chegam a 49. “A categoria cresceu ainda mais e certamente terá uma temporada espetacular”, ressaltou Khodair. Na Stock Car Light 27 pilotos participaram dos testes, e outros nove treinaram pela Stock Jr.

O veterano Ingo Hoffmann mostrou que ainda tem gás para acompanhar a nova geração de pilotos da Stock Car e terminou o primeiro dia de treinos em primeiro, com 1:41.204. Sua performance mostra, também, a queda no rendimento dos carros da Stock Car após a adoção de pneus nacionais: Ingo ficou a praticamente 3s da pole position do paulista Felipe Maluhy na última corrida do ano passado, que foi conquistada com o tempo de 1:38.180. “O lado positivo é que todos nós usaremos os mesmos pneus, e por isso o equilíbrio na categoria deve ser mantido”, finalizou Khodair.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *