Stock: Treinos livres em Londrina põem à prova mudanças aerodinâmicas

Organizadores promovem mudanças no regulamento visando a equalização da eficiência dos quatro modelos que compõem o grid.

Começam nesta sexta-feira (27) os treinos livres para a quinta etapa do Campeonato Brasileiro de Stock Car V8. As duas sessões programadas para o Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Londrina, no Norte paranaense, vão pôr a prova as mudanças promovidas pelos organizadores da categoria na aerodinâmica dos carros, medida que visa proporcionar um maior equilíbrio entre as quatro marcas que compõem o grid da categoria.

Essas mudanças atingem de maneira mais direta as equipes que usam o Peugeot 307 Sedan. O modelo, via adendo ao regulamento técnico, teve alterado o posicionamento do aerofólio traseiro e de seu suporte. “Quem observar o carro lateralmente vai perceber que o aerofólio vai estar mais afastado do vidro traseiro”, resume o goiano Ruben Fontes, que compete na Stock Car V8 com o Peugeot número 87 da Neo Química-Neosoro/JF Racing.

Na observação lateral sugerida por Fontes, o apêndice ao qual se afixa o aerofólio traseiro passa a ter maior ângulo em relação à linha do vidro traseiro do carro. Torna-se evidente, também, o recuo da asa, em 40 milímetros. “Com essa mudança, a asa traseira vai receber ar mais limpo e a nova posição vai permitir que o ar passe por cima e por baixo do aerofólio”, diz Fontes, melhor colocado no campeonato entre os pilotos que utilizam o Peugeot – está em 12º.

O efeito aerodinâmico resultante dessa divisão do fluxo é uma espécie de sucção do carro pelo ar que passa por baixo do aerofólio, ocasionando uma maior aderência da traseira do carro em curvas. “Isso nos permitirá diminuir a inclinação do aerofólio. Assim, o arrasto aerodinâmico nas retas também se torna menor e, com menos resistência do ar, poderemos conseguir alguns quilômetros por hora a mais na velocidade final”, detalha o piloto goiano.

Outra mudança na aerodinâmica diz respeito às tomadas de ar do airbox, sistema que direciona o ar externo aos carburadores dos Stock Car V8. Até 2006, essas tomadas de ar eram instaladas nas grades originais dos modelos Chevrolet Astra, Mitsubishi Lancer e Volkswagen Bora. A chegada do Peugeot 307, cujo modelo de linha tem a grade do radiador, numa posição inferior em altura, tornou necessárias as mudanças para equalização dos modelos.

A solução adotada na fase inicial do campeonato foi uma adaptação, para todos os modelos, da tomada de ar a partir de um corte na parte superior do capô dianteiro. “Teoricamente, isso poderia equalizar a captação do ar. No entanto, o que constatamos foi que isso ocasionou uma perda de performance dos Peugeot, em função do desenho de cada carro, porque os das outras marcas recebiam um volume maior de ar nos carburadores”, detalha Fontes.

A empresa responsável pelo fornecimento de equipamentos fez testes em pista comparando o desempenho de cada um dos modelos. No fim, decidiu-se que a tomada de ar dos Astra, Lancer e Bora volta às grades instaladas à frente dos radiadores. Nos 307, a tomada de ar também passa a acompanhar essa grade. “A nossa grade é mais baixa. Então, foi feita uma entrada forçada para que o proveito do ar seja tão eficiente quanto nos outros carros”, segundo Fontes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *