Stock: Três primeiros separados por 0s1 no circuito mais veloz do ano

No primeiro dia de treinos da Stock Car em Brasília, tempos competitivos mostram que a briga será acirrada, segundo os próprios pilotos, como Luciano Burti, um dos destaques desta sexta-feira.

A julgar pelo resultado do primeiro dia de treinos livres, a oitava etapa da Stock Car terá uma lista extensa de favoritos à vitória. No circuito mais veloz do calendário, com média horária próxima a 180 km/h, os três primeiros colocados foram separados por pouco mais de 0s1: o mais rápido, Antonio Jorge Neto cravou 58s875, contra 59s028 de Luciano Burti, o terceiro colocado.


Não são apenas os ponteiros estão separados por um mísero décimo. Dentro do mesmo segundo, a conta engloba praticamente todo o grid, com 33 pilotos.


“O equilíbrio sempre é uma marca da Stock Car, mas nesta pista de Brasília ele fica ainda mais evidente por conta do traçado veloz e de poucas curvas”, explica Burti (Petrobras-Cimed-Pakalolo-Brasil Telecom).


O paulista afirma que sua equipe concentrou os esforços do dia no trabalho de acerto do carro para a corrida.


“No primeiro treino, nós não nos preocupamos em marcar um bom tempo e, mesmo estando lá atrás na folha de tempos, sabíamos que o potencial do carro era bom. Fico satisfeito em ver que, quando colocamos um pneu um pouco melhor, conseguimos ficar entre os três primeiros”, afirma Burti.


O piloto da Petrobras-Action Power não colocou pneus novos, mas acredita que o carro também está com bom set up para a classificação, que será disputada amanhã pela manhã –depois, às 12h20, os dez primeiros voltam à pista para a Super Classificação.


“O comportamento do carro é bom em todos os aspectos, mas é claro que também focamos parte do trabalho pensando na classificação, porque largar entre os primeiros aqui é fundamental. Apesar da pista ser a mais veloz do ano, é difícil largar lá atrás e vir se recuperando”, comentou Burti.


O otimismo do piloto também é confirmado pelo diretor-técnico da equipe, Paulo de Tarso. “Tivemos um dia produtivo, melhorando o acerto do carro em cada parte do treino. Agora é apostar na receita que deu certo hoje na classificação amanhã”, comenta.


A única preocupação do time é com o desgaste dos pneus, considerado crítico na pista de Brasília. “O asfalto aqui é extremamente abrasivo e, se já tivemos problemas em pistas menos críticas, como Curitiba, esta questão será ainda mais preocupante aqui. Nem tanto pela performance, mas pela durabilidade dos compostos ao longo dos 50 minutos de corrida no domingo”, comenta Burti.


A oitava etapa da Stock Car será neste domingo, às 10h30, com transmissão ao vivo pela TV Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *