Stock: Valdeno sai na pole em Curitiba

Xandinho sobe e larga em 9º na segunda etapa da temporada.

O paraibano Valdeno Brito (RCM Motorsport) conquistou a pole position da segunda etapa da Stock Car, ao registrar a melhor média das três voltas rápidas da superclassificação deste sábado no Autódromo Internacional de Curitiba – Pinhais. Além de ganhar três pontos de bonificação, o piloto radicado em Londrina surge como força na corrida de amanhã, já que acabou confirmando nas tomadas de tempo o domínio dos ensaios livres da véspera.

Valdeno repetiu a pole do ano passado, quando defendia a Equipe Medley. “Acho que me adaptei muito bem a este carro novo e a equipe também está fazendo um ótimo trabalho. Na verdade, estamos andando bem desde o começo dos treinos em Interlagos, na abertura da temporada. O que ocorreu lá foi que, depois de um vazamento na caixa de câmbio, a equipe colocou dois litros a mais e acabei perdendo rendimento. Mas tenho levado sorte aqui em Curitiba, onde também subi ao pódio pela primeira vez. Talvez porque eu já seja um pouco paranaense depois destes anos morando no estado”, brincou Valdeno, que terá a companhia de Cacá Bueno na primeira fila.

Quinto colocado em 2008, Valdeno não foi o único destaque dos treinos classificatórios. Depois de passar pela primeira sessão com o 16º tempo, Xandinho Negrão (Medley) cresceu na segunda e garantiu o 9º lugar no grid. “Acho que está dentro da expectativa que tracei para este meu ano de estréia: ficar sempre entre os 10 primeiros. O carro melhorou muito de São Paulo para cá, principalmente neste sábado. Mas foi uma tomada difícil. Se eu tivesse passado para os Top 6, seria muito complicado porque meus pneus já estavam desgastados depois de 10 voltas”, explicou Xandinho, que terminou em 10º há duas semanas em seu “début” na Stock Car.

O companheiro de equipe não exibia a mesma satisfação. O paranaense Wiliam Starostik ficou em 7º nos treinos livres da manhã, mas acabou parando na primeira bateria classificatória e partirá apenas em 23º. “Eu acreditava que poderia entrar entre os seis melhores, mas o carro perdeu completamente a aderência, provavelmente por causa da elevação da temperatura da pista. Cheguei a parar nos boxes para mexer na calibragem dos pneus, mas o ganho foi de apenas um décimo. Agora, a meta passa a ser completar a prova e torcer para ainda fechar na zona de pontos”, comentou Starostik, cuja melhor posição de largada – 7º – havia sido registrada em setembro último na capital paranaense.

Dois dias de treinos livres deixaram a sensação de que os problemas apresentados pelo novo carro na estréia há duas semanas em Interlagos foram solucionados. O reposicionamento dos canos de escapamento impediu a passagem do calor para o habitáculo. Em São Paulo, Xandinho Negrão e William Starostik queixaram-se das altas temperaturas dos pedais. “No fim da corrida, eu não conseguia acelerar nem frear direito”, lembrou Xandinho. A JL, empresa responsável pela fabricação dos carros, providenciou novo sistema de fixação dos capôs, na tentativa de evitar que eles se desprendam e decolem como na primeira etapa. “Acho que vai funcionar, mas vamos ter de esperar pela corrida para conferir se deu certo”, ressalva Andreas Mattheis, diretor-técnico da Equipe Medley.

A largada está marcada para as 11 horas. Serão 32 voltas pelo traçado de 3.695 metros da capital paranaense. Apesar do feriado prolongado que esvaziou a capital paranaense, os organizadores ainda contam com a presença de grande público. Os torcedores poderão acompanhar pela primeira vez na temporada das duas paradas nos boxes – entre o 18º e o 20º minuto, para reabastecimento, e a outra, entre o 25º e o 35º minuto, para troca de no mínimo dois pneus. Por medida de segurança, no entanto, o reabastecimento deverá ser efetuado no tempo mínimo de 50 segundos, contado a partir da passagem do carro pelo sensor de entrada de box e a saída.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *