Stock: Valdeno vence em Curitiba e assume liderança da Stock Car

Estreante, Xandinho Negrão sobe para o 8º lugar na classificação geral.

Valdeno Brito (RCM Motorsport) conquistou neste domingo sua segunda vitória na Stock Car. Ao contrário da primeira, assegurada apenas nos últimos minutos da Corrida do Milhão de Dólares do ano passado no Rio de Janeiro, desta vez o paraibano radicado em Londrina passeou pela pista do Autódromo Internacional de Curitiba. Largou na pole, liderou de ponta a ponta e ainda estabeleceu a melhor volta. De quebra, desbancou da liderança do campeonato o paulista Paulo Salustiano, ganhador na abertura do calendário em Interlagos. Cacá Bueno (Red Bull) e Thiago Camilo (Vogel/Ipiranga) completaram o pódio.

Foi uma corrida tranqüila para Valdeno. No inicio, foi abrindo meio segundo por volta de Cacá Bueno, seu companheiro de primeira fila, e não foi ameaçado nem mesmo com a única entrada do safety car, provocada pela rodada de Nonô Figueiredo na entrada da reta dos boxes. Susto, mesmo, e pequeno, só levou na parada para reabastecimento. Para “driblar” o carro de Antonio Pizzonia, que chegara para fazer o pit stop, Valdeno precisou da ajuda dos mecânicos e não conseguiu evitar um leve toque. “O meu acelerador também estava travando durante a corrida, mas eu tinha um mecanismo para consertá-lo”, explicou o “Expresso da Paraíba”, que ultrapassou Salustiano por apenas um ponto e se disse favorável à manutenção do sistema de playoffs da categoria. “Acho que está funcionando bem e serve de estímulo para pilotos e equipes.”

O estreante Xandinho Negrão (Medley) não apenas voltou a fazer uma ótima corrida, como ganhou duas posições e subiu dentro dos Top 10 – aqueles que decidirão o título nas últimas quatro etapas. “Foi mais um bom resultado. O importante será seguir nessa toada, sempre terminando entre os 10”, comemorou Xandinho, que chegou em 8º depois de partir em 9º. Segundo ele, seu carro estava saindo de frente em praticamente todas as curvas, o que comprometeu o rendimento. “Estava difícil de segurar. O Max Wilson estava mais rápido e nada pude fazer, mas só não dificultei para o Ricardo Zonta mais porque era mais prudente pensar nos pontos no final da corrida. De qualquer forma, o carro está muito melhor e mais confiável do que em Interlagos. Parece que os problemas de nascença foram todos corrigidos”, elogiou.

O paranaense William Starostik, também da Medley, terminou em 17º, depois de sair em 23º, e não conseguiu cumprir a meta de fechar na zona de pontos que vai até o 15º. “Levei uma batida por trás do Pedro Gomes na Curva do Pinheirinho que afetou o equilíbrio do carro. Pelo menos, ele me pediu desculpas no fim da prova. Mas meu maior problema foi a pane no acionamento do nitro, que não está funcionando desde Interlagos. Eu estava mais rápido que muita gente, inclusive de vários pilotos que chegaram à minha frente, mas eles “nitravam” e fugiam de mim”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *