Super Kart Brasil: Tuka Rocha e Felipe Guimarães reforçam grupo de estrelas do automobilismo no SKB-

Piloto da Stock Car correrá na Graduados contra Nelsinho Piquet, Sérgio Jimenez e companhia. Já Guimarães, da GP3, encara o desafio de estrear na Shifter tendo uma constelação ainda maior de pilotos como adversários

A escolha da categoria obedeceu a critérios diferentes. Mas, mesmo assim, os novos nomes confirmados na segunda edição do Super Kart Brasil compartilham a mesma opinião sobre pelo menos um assunto relacionado ao evento deste fim de semana: não poderiam ficar de fora do grande desafio representado pelo SKB, e de apoiar a iniciativa de sete dos maiores pilotos de kart brasileiros de todos os tempos.

Tuka Rocha e Felipe Guimarães confirmaram presença na competição criada por Paulo Carcasci, Sérgio Jimenez, Ruben Carrapatoso, Danilo Dirani, André Nicastro, Dennis Dirani e Renato Russo – e já iniciaram os treinos para o torneio que começa oficialmente neste sábado no Kartódromo de Interlagos, em São Paulo.

Tuka Rocha é tricampeão brasileiro de kart e vai estrear no grid da Stock Car em 2011 pela equipe Voegel. No SKB, voltará a correr no Kartódromo de Interlagos depois de exatos dez anos, revivendo uma antiga parceria com o preparador Mazinho, da equipe MZ Racing. Ele será companheiro de equipe de Nelsinho Piquet na categoria Graduados.

“Só a oportunidade de voltar a correr com o pessoal da minha época já é um bom motivo para estar aqui”, disse o piloto. “O tempo em que corri de kart foi a melhor época da minha vida, e estou feliz por voltar a Interlagos. Eu não acelerava nessa pista desde 2001, e agora vou ter a chance de matar a saudades enfrentando novamente o (Sérgio) Jimenez, o Nelsinho (Piquet), e muitos outros pilotos”, completou.

A opção de Tuka pela categoria Graduados teve muito a ver com o caráter nostálgico de sua participação no SKB, que em Interlagos reunirá competidores das categorias Shifter, Graduados, Sênior, Super Cadete e Júnior.

“Eu tenho um Shifter, que uso para treinar. Mas queria mesmo correr com os karts tradicionais aqui em Interlagos. O kart com marcha exige uma tocada mais parecida com a de um Fórmula, e eu queria mesmo correr de kart 125cc. A chance de carburar e afogar o motor, e de realizar uma tocada mais redonda, só mesmo com o equipamento da Graduados”, acrescentou ele, que não compete a um ano e meio, desde que disputou a Fórmula Superleague pelo Flamengo.

Já Felipe Guimarães vai estrear na Shifter Kart pegando uma verdadeira pedreira em seu primeiro contato com a categoria. A divisão de karts com marcha é a mais veloz do país, e exige tempo para adaptação até mesmo para pilotos experientes como o brasiliense, que em 2010 disputou a GP3 Series.

“Decidi correr há poucos dias e optei pela Shifter por ser um novo desafio. Muitos pilotos bons da minha época de kart estão aqui, e mesmo sabendo que vou ter algumas dificuldades no início para me adaptar, vou encarar essa. Estou me dedicando muito aos treinos”, declarou.

O interesse de Guimarães pelo evento traduz muito do espírito que cerca a segunda edição do Super Kart Brasil: a vontade de estar em um campeonato criado por sete dos maiores pilotos de kart brasileiros em todos os tempos, com o objetivo de reunir a elite da modalidade, representada por diversas gerações de pilotos.

“Esse é um torneio que está sendo levado a sério por todo mundo, e que não tem nada de festivo, embora o clima de nostalgia seja ótimo. Ainda estou conhecendo o Shifter, mas nenhum dos outros pilotos veio me ajudar, não. Está sendo cada um por si, como nos tempos em que corríamos de kart para valer”, encerrou Guimarães.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *