Top Series: Via Italia Racing vence prova fantástica em Curitiba


TwitterFacebookWhatsAppGoogle+Pin It

Na última hora de corrida, a Ferrari 458 tirou uma vantagem de mais de 50s para o líder

Neste domingo, em Curitiba, Paraná, aconteceu a 2ª etapa da Top Series, o novo Campeonato Brasileiro de Endurance. E depois de três horas de corrida, a definição do vencedor faltando apenas cinco voltas para o final. E alternativas não faltaram para os pilotos. Minutos antes da largada, uma fraca chuva começou a molhar a pista. Foi autorizada largada com Safety Car (Carro de Segurança) e antes de completar a primeira volta, vários pilotos vieram para o boxe para trocar pneus. Chico Longo, muito resfriado, foi o responsável por iniciar a corrida da Ferrari 458 da Via Italia Racing. Com piso molhado e muito frio, a adaptação a pista demorou algumas voltas. Todos os carros estavam com acerto para pista seca e competindo com chuva, o que trazia mais emoção a corrida. Depois de pilotar por mais de uma hora, Longo levou o carro para os boxes e entregou a Daniel Serra na 2ª colocação.

Serra abasteceu e foi para a pista com pneus slick, já que a pista naquele momento estava secando. Mas com a baixa temperatura, demorou muito para os pneus aquecerem. No momento que a temperatura dos pneus ficou ideal, um contratempo. Furo do pneu direito traseiro. Serra perdeu muito tempo para voltar ao boxe e optou por retornar com compostos para pista molhada, já que voltava a garoar. Depois de mais uma parada, novamente para abastecer, restava pouco menos de uma hora para o fim da corrida e uma desvantagem de mais de 50s para o líder (por conta do pneu furado). Serrinha começou a fazer voltas muito rápidas e tirar a diferença. Por outro lado, a Lamborghini da dupla Xandy e Xandinho Negrão não apresentava o mesmo rendimento do inicio e perdia algum tempo. Faltando cinco voltas para o fim, o improvável: Serra tirou a diferença de mais de 50s e ultrapassou Xandinho Negrão. Foi só administrar as voltas finais e comemorar a primeira vitória da Via Italia Racing nesta temporada. Na primeira etapa, no Anhembi, o time chegou na 3ª colocação depois de largar na pole position. 

“Abre aspas”
“Fazia tempo que não tínhamos uma corrida tão movimentada e com alternâncias. A chuva do inicio e o pneu furado fez a estratégia combinada antes da corrida ir literalmente “por água abaixo”. Mas este é o grande barato de corridas de Longa Duração. Temos que estar 100% ligados nas mudanças. O Chico, na primeira parte, mesmo gripado pilotou muito. Ele manteve-se entre is primeiros e entregou o carro em 2º. Já o Daniel não tenho nem o que falar. Claro que a Lamborghini teve um problema na parte final, mas os tempos que ele virara eram impressionantes. Uma corrida de muita garra. Os meninos no boxe também tiveram ótima participação nos pitstops. Uma corrida perfeita!” – Hilton Lellis, Diretor Técnico da equipe Via Italia Racing.

“Foi uma corrida fantástica e cheia de alternativas. Quando tivemos o problema com o pneu traseiro que furou, e fomos obrigados a parar mais uma vez, achei que ali escaparia a chance de vencer. Na parte final, com a Ferrari muito bem acertada e a Lamborghini virando um pouco mais lenta, fomos atrás da vitória. Eu era informado pelo rádio que a diferença caia e tínhamos tempo para buscar a vitória. Quando faltavam cinco voltas consegui a ultrapassagem. Mas foi uma corrida muito difícil. A equipe trabalhou muito bem nos pitstops e o Chico também teve grande participação. Mesmo com muito resfriado ele conseguiu pilotar por mais de uma hora. E virando rápido. Foi uma vitória com muito trabalho de todos. A equipe Via Italia está de parabéns” – Daniel Serra.

“Instantes antes da largada uma surpresa né. A chuva caiu e fui obrigado a entrar para os boxes colocar pneus para pista molhada. Estava preocupado com o meu ritmo, já que estou com uma forte gripe. Durante a prova deu tudo certo. No início estava difícil, porque não pegava aquecimento nos pneus. Depois, me acostumando com a condição da pista, conseguia voltas muito boas. Entreguei o carro para o Daniel 8s atrás do líder. Até ai foi uma corrida normal. Depois aconteceu de tudo. Secou, choveu, furou pneu, desconto uma baita diferença. O time todo trabalhou muito bem” – Francisco Longo.

Resultado da prova:

1°, T1, C.Longo – D.Serra, 3:01:22.516
2°, T1, X.Negrão – Xandinho, a 25.011
3°, T1, P.Queirolo – R.Barbosa, a 2 voltas
4°, T1, E.Amorin – J.Kraucher, a 6 voltas
5°, T2, J.Bana – D.Bana, a 8 voltas
6°, T2, SantAnna – Pons – Zaninotto, a 9 voltas
7°, T2, L.Vital – D.Mendes, a 17 voltas
8°, T2, H.Visconde – R.Landi, a 17 voltas
9°, T2, Kolling – Garcia – Costa Jr, a 17 voltas
10°, T2, R.Guerra – E.Furlanetto, a 17 voltas
11°, T2, N.Ribeiro – J.Ribeiro, a 19 voltas
12°, T1, M.Visconde – M.Wilson, a 22 voltas
13°, T2, A.Pardo – D.Pardo, a 22 voltas
14°, T1, D.Pimenta III – R.Pimenta, a 41 voltas
15°, T1, T.Andrade – B.Justo, a 56 voltas
16°, T2, M.Ramos – J.Cordova, a 75 voltas
17°, T2, S.Turvey – T.Riberi, a 83 voltas
18°, T2, Lozasso – Marques- Karan, a 99 voltas
19°, T2, J.Andrade – T.Andrade, a 112 voltas

Compartilhar
TwitterFacebookWhatsAppGoogle+Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *