Truck: Aos 63 anos Muffato vence pela 1º vez na Truck

Com uma das atuações mais convincentes de sua carreira, Pedro Muffato teve um fim de semana perfeito na segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck. Largando pela primeira vez da pole-position, o piloto paranaense de 63 anos dominou todas as 36 voltas da prova deste domingo (16) em Eusébio, na região metropolitana de Fortaleza, para comemorar sua primeira vitória na categoria, onde compete desde 2000.



Tal qual nos treinos livres e classificatórios do sábado (15), a instabilidade climática deu o tom à corrida, disputada no remodelado Autódromo Internacional Virgílio Távora. A probabilidade de chuva forte durante a corrida levou as equipes a estratégias diferenciadas no uso de pneus. Alguns pilotos largaram para a prova calçando seus caminhões com pneus slick, para pista seca. Outros adotaram os pneus frisados, mais apropriados para piso molhado.

Muffato assumiu uma postura intermediária diante da ameaça de chuva. Pôs pneus slick na frente e quatro unidades tipo “biscoito” nas rodas traseiras do Scania eletrônico número 20, em que ostenta as cores e logomarcas de Autotrac, Italy, FAG, Coopavel e Metusa. A combinação lhe permitiu manter a liderança da primeira à última volta pelos 1.780 metros da pista cearense. E, apesar de liderar de ponta a ponta, não teve vida fácil em nenhum momento.

Na largada, o pernambucano Beto Monteiro, segundo no grid, começou a pressionar Muffato numa disputa em que ambos se distanciaram do restante do pelotão. “Ele não deu fôlego nenhum”, reconheceu Muffato. A pressão durou até a sexta volta. Ao mesmo tempo em que a chuva tornava-se mais forte, obrigando o paranaense a acionar o limpador do pára-brisa, o Ford do pernambucano sofria o estouro de uma das mangueiras do sistema de refrigeração.

Mesmo com o problema, Monteiro manteve-se na disputa até a 13ª volta, instante em que abandonou com problemas de motor. O Pace Truck foi acionado para remoção de seu Ford, que ficou parado em posicionamento perigoso. Na 15ª volta, era Débora Rodrigues, terceira no grid, quem tentava buscar aproximação em relação ao líder para entrar na disputa direta pela vitória. O resultado também seria inédito para a piloto da Volkswagen.

As pretensões de Débora caíram por terra na 23ª volta. Com uma volta de desvantagem, Roberval Andrade, que fazia uma prova de recuperação para estar na mesma volta do líder, a ultrapassou. O paranaense Wellington Cirino, que saíra do 13º lugar no grid para estar em terceiro àquela altura, aproveitou a manobra do paulista e, seguindo seu traçado, assumiu a vice-liderança e passou a representar a maior ameaça à primeira vitória de Muffato.

A situação de Pedro na corrida tornou-se dramática na 30ª volta, quando Roberval o ultrapassou e passou a figurar na mesma volta. Os dois caminhões se tocaram no final da reta dos boxes. Com o impacto, parte da carenagem dianteira do líder se desprendeu e ficou suspensa, a poucos centímetros do pneu dianteiro direito. A essa altura, Wellington imprimia um ritmo mais forte, reação capaz de reduzir de seis para um segundo a diferença entre os dois.

Na 34ª volta, um acidente entre Vignaldo Fízio e Clodoaldo Monteiro levou a direção de prova a devolver o Pace Truck à pista, para limpeza do traçado. “Eu quase me envolvi naquela batida, foi bem na minha frente”, descreve o vencedor. “Tive tempo de aliviar o pé e escolher por onde desviar”. A intervenção durou três voltas. Havia tempo para apenas mais uma volta. Muffato manteve uma vantagem segura para impedir a ultrapassagem de Cirino.

A vitória no domingo de Páscoa foi definida por Muffato como “motivo de satisfação e orgulho”. “Vencer na principal competição do automobilismo brasileiro é algo que me deixa ainda mais feliz, mas não fico feliz só por mim. Fico feliz por Fortaleza, que ganhou um autódromo novo. Eu conhecia o circuito antigo, o que o Aurélio Félix (promotor da F-Truck) fez aqui para deixar a pista em condições tão boas é uma vitória de todo o automobilismo”, elogiou.


O tricampeão Cirino fez questão de cumprimentar Muffato no pódio. “Para mim, é uma honra participar de uma categoria em que o Pedro também corre. Ele sempre foi um companheiro, desde o início da minha carreira no automobilismo. A primeira vitória dele na Truck, considerando todo o trabalho que ele fez, demorou muito para acontecer, mas está aí e foi merecida”, elogiou o piloto da Mercedes-Benz. “O Pedro provou que, na chuva, é o melhor piloto”, rendeu-se.

O resultado final da segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, considerando-se entre parênteses a posição de largada de cada piloto, foi o seguinte:

1º) (1) Pedro Muffato (PR/Muffatão Motorsport), Scania, 1h03min00s796
2º) (13) Wellington Cirino (PR/ABF Competições), Mercedes-Benz, a 0s713
3º) (3) Débora Rodrigues (SP/RM Competições), Volkswagen, a 1s786
4º) (9) Geraldo Piquet (DF/ABF Competições), Mercedes-Benz, a 2s399
5º) (11) Leandro Totti (PR/Londrina Truck Racing), Ford, a 6s402
6º) (16) Vinícius Ramires (SP/Ramires Rodobens Truck Team), Mercedes-Benz, a 6s447
7º) (5) José Maria Reis (GO/Roberval Motorsport), Scania, a 6s848
8º) (18) Roberval Andrade (SP/Roberval Motorsport), Scania, a 10s661
9º) (21) Djalma Fogaça (SP/DF Motorsport), Ford, a 10s845
10º) (6) Renato Martins (SP/RM Competições), Volkswagen, a 11s789
11º) (14) Herberto Heinen (RS/RM Competições), Volkswagen, a 14s243
12º) (8) Fabiano Brito (PR/ABF Competições), Volvo, a 15s154
13º) (23) Clodoaldo Monteiro (SC/GH Racing), Volkswagen, a 1 volta
14º) (20) Vignaldo Fízio (SP/ABF Competições), Mercedes-Benz, a 3 voltas
15º) (15) Eduardo Fráguas (SP/Londrina Truck Racing), Ford, a 3 voltas

NÃO COMPLETARAM

(12) Fred Marinelli (SP/Marinelli Competições), Iveco, a 7 voltas
(4) Luiz Zappelini (PE/DF Motorsport), Ford, a 21 voltas
(2) Beto Monteiro (PE/DF Motorsport), Ford, a 24 voltas
(17) Beto Napolitano (SP/RM Competições), Volkswagen, a 24 voltas
(7) Diumar Bueno (PR/Bueno Race Truck), Volvo, a 32 voltas

DESCLASSIFICADOS

(10) João Marcos Maistro (PR/Clay Truck Racing), Scania
(19) Régis Boessio (RS/Boessio Competições), Iveco
(22) José Cangueiro (SP/ABF Competições), Mercedes-Benz

Melhor volta: Totti, 1min00s520, na 5ª, média de 105,88 km/h


A próxima prova da Fórmula Truck será disputada no circuito paulista de Interlagos, no dia 14 de maio.


Após duas etapas, a classificação completa do Campeonato Brasileiro passa a ser a seguinte:


1º) Totti, 37 pontos;


2º) Cirino, 32;


3º) Muffato, 31;


4º) Andrade, 24;


5º) Rodrigues, 19;


6º) Ramires, 16;


7º) Piquet, 11; 8º) Cangueiro, 8;


 9º) Maistro e Reis, 6;


11º) Boessio, Napolitano e Martins, 4;


14º) Brito, 3;


15º) Fogaça, 2;


16º) Bueno, 1.


Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *