Truck: Danilo Dirani vence pela primeira vez na Fórmula Truck

Giaffone e Piquet se envolvem em acidente restando duas voltas para o final

Danilo Dirani concretizou neste domingo (6) um final de semana perfeito na etapa de Curitiba, válida pela penúltima etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, ao vencer de ponta a ponta. O piloto da Ford Racing/DF Motorsport venceu pela primeira vez na categoria, após ter liderado os treinos livres, fazer a pole-position e cravar a melhor volta da corrida, completando a pontuação máxima da etapa ao somar 32 pontos.

“Essa foi sem dúvida a melhor vitória da minha vida, é uma sensação muito boa. Eu só tenho a agradecer aqueles que estiveram comigo desde pequeno, que me apoiaram no Kart, nas categorias de Fórmula, a minha familia inteira e as pessoas que torcem por mim. (Emocionado continua) Nós estávamos perseguindo essa vitória há algum tempo, já tinha uma angústia, uma úlcera no estômago, e essa veio para lavar a alma. A equipe inteira da Ford/DF merece essa vitória, pois todos trabalharam muito para isso. Agora é só comemorar essa vitória”, destacou o paulista.

Beto Monteiro concluiu na segunda colocação, conquistando o seu primeiro pódio do ano. “Esse pódio teve um gosto de vitória, já que a algum tempo vinhamos batento na trave, e graças a Deus nessa etapa deu certo. Fizemos um bom trabalho, a equipe foi fora do comum no final de semana. Na corrida, o ritmo era muito bom, eu sabia que o Danilo estaria muito forte, então, o máximo que eu poderia fazer era acompanhar o ritmo dele, e claro que aberto a oportunidades durante a corrida. Mas o Danilo é um grande piloto, e é uma satisfação muito grande trazer o caminhão da Iveco para o pódio”.

A corrida

Se lá na frente estava tudo tranquilo, as demais posições teve uma briga intensa. No início da prova, um toque de Paulo Salustiano (Iveco) em Geraldo Piquet (Mercedes-Benz) fez com que o caminhão número 3 rodasse e caísse para o final do grid com um pneu furado, e atravessado ainda levou uma batida de Valmir Benavides (Volkswagen), o Hisgué, que abandonou e deu adeus a corrida. Com isso, Dirani seguia na ponta, seguido de Wellington Cirino, Beto Monteiro, Felipe Giaffone e Adalberto Jardim.

Após a relargada da bandeira programada, Cirino enfrentou problemas mecânicos e abandonou, abrindo caminho para Beto Monteiro assumir a segunda colocação, a frente de Giaffone. Restando sete minutos para o final da prova, o caminhão de André Marques pegou fogo e o Pace Truck entrou pela 4a vez na corrida embolando todo mundo. Nesse momento, Piquet ocupava a 13a posição e, retardatário, se posicionou atrás do caminhão de Giaffone. A relargada aconteceu com os comissários informando que teriam duas voltas para o final, e na curva 1, Piquet literalmente subiu em cima do caminhão do piloto da Volkswagen, com os dois abandonando a disputa e gerando uma grande discussão, pois ambos brigam pelo titulo Brasileiro. Os comissários excluíram Piquet da prova.

Geraldo Piquet:

“Fiz uma ótima largada. Passei o Adalberto Jardim e o Valmir Benavides, mas na freada, quando fui ultrapassar o Felipe Giaffone, ele foi para esquerda e me tirou. No meio do ‘S’, quando já estava rodado, levei outra batida de um Iveco. Após isso foi corrida de recuperação, onde fui ultrapassando todos os pilotos. Quando fui passar o Giaffone no fim da prova, ele não me deu passagem e acabamos nos tocando”,

Felipe Giaffone:

“Para minha surpresa o Piquet vinha atrás de mim, eu freiei antes e vi que ele não veio, automaticamente não me passaria, entrei na curva e depois vi a porrada. No momento até pensei que tivesse acontecido alguma coisa, a porrada foi muito grande, por pouco nós não nos machucamos. Achei um absurdo fazer isso de propósito colocando a nossa vida em perigo. Porém, quando sai do caminhão, ele falou abertamente, que como eu havia tirado ele no começo da corrida, o que não é verdadeiro, pois eu levei uma porrada por de trás e fui jogado para cima, ele tinha feito aquilo mesmo e íamos levar o título para Brasilia. Para mim é novidade acontecer isso em todo meu tempo de automobilismo, pois acho que ele fez de cabeça quente, e agora eu estou pensando em não correr em Brasilia, pois tenho medo de alguém se machucar lá”.

Confira o final da etapa de Curitiba:

1º) 70 – Danilo Dirani (F, SP), 21 voltas em 1:00:03.289
2º) 88 – Beto Monteiro (I , PE), a 0.441
3º) 23 – Adalberto Jardim (W , SP), a 5.601
4º) 73 – Leandro Totti (M , PR), a 8.469
5º) 83 – Regis Boessio (M , SP), a 10.141
6º) 14 – João Maistro (V , PR), a 10.792
7º) 20 – Pedro Muffato (S , PR), a 15.956
8º) 9 – Renato Martins (W , SP), a 26.172
9º) 71 – Cristina Rosito (F , RS), a 29.006
10º) 32 – Luiz Pucci (V , RA), a 38.271
11º) 4 – Felipe Giaffone (W , SP), a 2 voltas
12º) 77 – André Marques (V , SP), a 3 voltas
13º) 99 – Luiz Lopes (S , SP), a 3 voltas
14º) 50 – Fred Marinelli (I , PR), a 7 voltas
15º) 7 – Debora Rodrigues (W , SP), a 9 voltas
16º) 11 – Diumar Bueno (V , PR), a 9 voltas
17º) 6 – Wellington Cirino (M , PR), a 10 voltas
18º) 1 – Roberval Andrade (S , SP), a 11 voltas
19º) 12 – Zé Maria Reis (S , GO), a 18 voltas
20º) 45 – Leandro Reis (S , GO), a 19 voltas

Abandonaram:

Débora Rodrigues
Valmir Benavides

Excluídos:

Paulo Salustiano
Geraldo Piquet

Classificação do Campeonato Brasileiro:

Felipe GIAFFONE 96 pontos
Geraldo PIQUET 89 pontos
Valmir BENAVIDES 74 pontos
Wellington CIRINO 68 pontos
Leandro TOTTI 56 pontos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *