Truck: Djalma Fogaça pontua em Fortaleza

O veterano piloto paranaense de 63 anos de idade Pedro Muffato (Muffatão Motorsport), venceu neste domingo (16/4) a segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, disputada sob chuva no renovado Autódromo Virgílio Távora, em Eusébio, região metropolitana de Fortaleza (CE). Confirmando as suas previsões modestas, o sorocabano Djalma Fogaça (Ford Racing Trucks/DF Motorsport) terminou a competição pontuando, mas na nona posição.

“Já sabiamos do problema de confiabilidade. O Beto Monteiro parou quando brigava pela vitória. E eu, tive que largar dos boxes, e correndo com pneus lisos, só procurei me manter na pista. Nosso campeonato vai começar em São Paulo”, planeja o piloto e chefe e de equipe. A continuação do certame da Fórmula Truck será no dia 21 de maio, em Interlagos.

No começo da prova Pedro Muffato e Beto Monteiro (Ford Racing Trucks/DF Motorsport) dispararam na frente, e o panorama só mudou na 12ª volta, quando o motor do Ford Cargo do campeão de 2004 travou, obrigando o seu abandono. “Umas cinco voltas antes a mangueira do radiador estourou e a água começou a vazar. Até aquele momento eu tinha caminhão para ganhar a corrida. Só estava acompanhando o Muffato, para estudar o momento do bote. Foi uma pena esta quebra”, lamentou o pernambucano.

O sorocabano Djalma Fogaça foi obrigado a largar dos boxes por não ter participado do treino de classificação. Apostando que a chuva não viria, o chefe da equipe Ford Racing Trucks/DF Motorsport fez uma corrida estratégica, procurando não sair da pista e se envolver em batidas, e acabou recebendo a bandeirada em nono, logo atrás de Roberval de Andrade (Roberval Motorsport), que também largou dos boxes e optou por pneus de chuva. “A opção de escolha de pneus não foi tão importante. O ruim foi ter largado dos boxes, em uma pista muito curta e com ultrapassagens difíceis”, analisou Fogaça.

O catarinense Luis Zappelini (Ford Racing Trucks/DF Motorsport), que iria largar da quarta posição, teve o motor quebrado durante o treino de aquecimento. Com isso, a equipe fez a troca em 1h15min e o piloto largou dos boxes só depois da bandeira amarela programada, na 18ª passagem. A partir daí, veio fazendo voltas rápidas, e mesmo penalizado duas vezes com entrada nos boxes, uma vez por causa do excesso de fumaça, e outra por excesso de um quilômetro de velocidade na zona de radar – o máximo é 160 km/h -, Zappelini ainda recebeu a bandeirada de chegada em 17º. “É incrível. Nossa equipe é muita boa. Eles trocaram o motor em tempo recorde, e o meu Ford Cargo estava muito bem acertado, excelente. Infelizmente, por problema de quebra de motor, não pude aproveitar a minha melhor posição de largada. Mas eu te digo que se não quebrarmos, temos três caminhões para ganhar corridas”, atestou o piloto de Lages.

Os dez primeiros na prova de Fortaleza foram:
1º) Pedro Muffato (PR), Muffatão Motorsport, Scania, 1h03min00s796
2º) Wellington Cirino (PR), ABF Competições, Mercedes-Benz, a 0s713
3º) Débora Rodrigues (SP), RM Competições, Volkswagen, a 1s786
4º) Geraldo Piquet (DF), ABF Competições, Mercedes-Benz, a 2s399
5º) Leandro Totti (PR), Londrina Truck Racing, Ford, a 6s402
6º) Vinícius Ramires (SP), Ramires Rodobens Truck Team, Mercedes-Benz, a 6s447
7º) Zé Maria Reis (GO), Roberval Motorsport, Scania, a 6s848
8º) Roberval Andrade (SP), Roberval Motorsport, Scania, a 10s661
9º) Djalma Fogaça (SP), DF Motorsport, Ford, a 10s845
10º) Renato Martins (SP), RM Competições, Volkswagen, a 11s789

A Ford Racing Trucks/DF Motorsport tem o apoio de Motorcraft/DuPont/HDS MecPar/LoJack/Baltec/Kraucher/JR Acessórios/Mahle/Eaton/Cummins/Biagio Turbos/Tanksul/Usiparts.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *