Truck: Em sua volta a categoria, Borlenghi larga em 3º

Piloto da Volkswagen conseguiu lugar na 2ª fila em sessão classificatória confusa, com chuva atrapalhando vários pilotos, como Renato Martins e Débora Rodrigues.

A chuva proporcionou um grid inusitado para a primeira etapa da Fórmula Truck, que será disputada amanhã, em Cascavel. Metade dos pilotos conseguiu sair com pista seca e com isso se beneficiaram da mudança de clima para sair nas primeiras filas da corrida deste domingo.

Entre os destaques da classificação, está Jonatas Borlenghi, que no ano passado ficou fora da Truck e voltou em 2007 competindo pela Volkswagen. O piloto da RM Competições mostrou que, apesar de ser sua primeira prova com o modelo Constellation, está plenamente adaptado ao time e à categoria, e larga amanhã em 3º lugar.

“Quando pilotei a primeira vez o Constellation, tive uma ótima impressão. Tudo evoluiu muito neste ano que fiquei parado e é bom começar a temporada entre os três primeiros. Espero que amanhã a gente possa manter este rendimento”, comentou “Neno” Borlenghi.

Quem também se beneficiou com as mudanças drásticas de clima foi Felipe Giaffone. O piloto fará sua estréia pela Volkswagen largando na 8ª colocação. O ex-piloto da Indy, no entanto, acredita que poderia ter se saído ainda melhor.

“Na minha volta de classificação, acabei errando uma redução de marcha e perdi muito tempo. É uma pena isso acontecer, mas ao mesmo tempo sinto que conseguimos um bom acerto aqui para Cascavel e dá para partir para cima amanhã”, afirma.

Já o casal de pilotos da Truck, Débora Rodrigues e Renato Martins, foi um dos maiores prejudicados pelo clima. Quando foram à pista, a chuva começou a cair e assim era impossível obter um tempo entre os 12 melhores. Débora ficou em 13º e Renato, em 15º.

“Desta vez, a chuva nos prejudicou, mas isso faz parte do esporte, porque a entrada no treino é definida por sorteio. Da mesma forma que hoje pegamos a pista em piores condições, em outra corrida podemos ser beneficiados por isso”, disse Débora, única mulher a competir na Truck.

Para Renato, que venceu esta etapa no ano passado, outro consolo também para o time é ver que o caminhão Volkswagen Constellation está competitivo. O atual campeão da temporada ficou em todos os treinos entre os três primeiros. “Vai ser uma corrida complicada amanhã, saindo lá do pelotão de trás. Aqui é uma pista estreita, e os caminhões maiores, com motor 12 litros, se beneficiam na reta, no principal ponto de ultrapassagem. Por isso, minha meta é pensar no campeonato e sair daqui pelo menos com alguns pontos”, afirma o bicampeão da Truck e recordista de vitórias da categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *