Truck: Jogo de equipe será importante para o campeonato

Os três pilotos da DF Motorsport/Ford Racing Trucks estão praticamente empatados no campeonato.

Ao chegar exatamente no meio da temporada, mais do que a performance individual, as equipes de Fórmula Truck começam a analisar o conjunto dos desempenhos visando um bom resultado final tanto no certame de pilotos, como no de marcas. A quinta etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, que será disputada neste domingo (16/7) em Campo Grande (MS), com transmissão ao vivo pela Band a partir das 14 horas (horário de Brasília), poderá mostrar novidades no equilíbrio de forças.

Na classificação do torneio de pilotos Pedro Muffato (Scania) é o líder com 66 pontos. Ocupando a oitava posição, o catarinense Luis Zappelini é o piloto da DF Motorsport/ Ford Racing Trucks melhor posicionado, com 17 pontos. Com quatro pontos a menos, a seguir vem o pernambucano Beto Monteiro, seu companheiro de time e que foi campeão da categoria em 2004. E fechando os Top Ten, aparece o chefe da equipe, o paulista Djalma Fogaça, somando 12 pontos. Entre as marcas, a Ford é a terceira colocada, com 68 pontos, enquanto que a liderança é da Scania, com 105 pontos. Em suma, com muitos pontos a serem disputados, os campeonatos estão abertos, e tudo pode se alterar. “Agora precisamos trabalhar em equipe para ir pra frente. Mesmo estando na frente de meus companheiros, o importante é a Ford vencer. Por isso, precisamos fazer mais jogo de equipe”, sentencia Luis Zappelini, que faz sua primeira temporada com Ford Cargo.

Na visão do piloto catarinense, algumas condições podem fazer com que a prova sul-mato-grossense seja muita disputada e bem dinâmica, principalmente se fizer calor e a pista estiver suja, como ocorre normalmente. “Se tiver quente, aposto na confiabilidade de nossos Ford Cargo e acredito que voltaremos a andar novamente na frente. Sei que outros caminhões podem até ter um bom rendimento inicial, mas com altas temperaturas podem precisar tirar o pé do acelerador, o que provocará trocas de posições”, acredita Zappelini.

“Com o circuito constantemente com terra, que o vento leva para o asfalto, os caminhões ficam desequilibrados nas curvas. Quem tiver um bom acerto de suspensão, como é o nosso caso, tende a ter melhor saída de curva e, novamente, aumenta a possibilidade de ultrapassagens”, explicou. “Por isso, já que os três caminhões de nossa equipe vão estar exatamente iguais em Campo Grande, quem estiver melhor a cada momento tem que ir pra frente. E independente de quem esteja mais bem posicionado no campeonato, tem que puxar os companheiros. Não pode haver hierarquia, precisamos somar pontos e o time inteiro subir no pódio”, planeja o mais novo piloto da DF Motorsport/ Ford Racing Trucks.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *