Truck: Problema de suspensão tira Roberval da disputa pela vitória em Guaporé

Paulista da Scania passa a ocupar terceiro lugar na tabela de pontos
e considera que sua condição ainda é melhor que a do ano passado.


Roberval Andrade teve uma participação complicada na quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck. Largando em nono, o piloto paulista da Roberval Motorsport foi sétimo colocado na corrida de domingo (11) no Autódromo Internacional Nelson Luiz Barro, na cidade gaúcha de Guaporé. O resultado o fez cair da liderança para o terceiro lugar na tabela de pontos. A vitória na prova foi do também paulista Renato Martins.

Segundo mais rápido nos treinos livres de sexta-feira (9), Roberval teve dificuldades com a pista molhada na tomada de tempos de sábado (10). “Com o asfalto molhado, meu caminhão não tinha aderência. Estava muito difícil mantê-lo na pista”, descreveu o piloto. Na corrida, com pista seca, o problema de aderência não seria problema. Contudo, já nas voltas iniciais, um problema com a suspensão traseira o obrigou a diminuir o ritmo.

“Eu já era sétimo quando percebi que alguma coisa não estava certa na suspensão. Diminuí o ritmo e perdi umas três ou quatro posições”, lembrou. “Com isso, eu tive que adaptar a pilotagem durante a corrida, mas não tinha nenhuma chance de tentar reagir. Só nas últimas voltas é que consegui um ritmo um pouco melhor, mas já era tarde para correr atrás do prejuízo”, reconheceu o paulista, que havia vencido a etapa anterior em Interlagos.

Roberval chegou a Guaporé empatado na liderança do campeonato com o tricampeão Wellington Cirino – o paranaense abandonou a prova, com a quebra do motor de seu Mercedes-Benz, depois de conquistar pontos de bonificação na intervenção programada do Pace Truck. A liderança, assim, passou para as mãos do também paranaense Pedro Muffato, que terminou a corrida em segundo e foi a 66 pontos, contra 56 de Wellington e 55 de Roberval.

“Eu poderia ter conquistado a liderança isolada do campeonato. Por outro lado, no ano passado, minha situação no campeonato depois de Guaporé era muito pior que a de agora, e eu estava na disputa pelo título na última etapa. Então, a condição no campeonato ainda é positiva”, considera o piloto, que tem no Scania número 15 as cores de Consórcio Nacional Scania, Banco Panamericano, Rodafuso, Knorr-Bremse, NSK, Frum, KS e Guerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *