Truck: Radar na reta dos boxes complica trabalho de um terço dos pilotos em Goiânia

Walmir “Hisgué” Benavides conquistou neste sábado (15), logo na sua quarta participação no Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, a primeira pole osition na categoria. O piloto da RM Competições, mais rápido nos treinos livres de sexta-feira (14), repetiu seu domínio na tomada de tempos classificatória e vai comandar o grid para a sexta etapa da temporada 2007, neste domingo (16) no Autódromo Internacional de Goiânia.

Benavides, na Super Classificação, foi 0s142 mais rápido que o também paulista Felipe Giaffone, seu companheiro na equipe RM, que lidera a competição depois de vencer as três últimas etapas. Giaffone soma 89 pontos, quatro a mais que Roberval Andrade, da Scania, que larga em terceiro. Wellington Cirino, piloto da Mercedes-Benz, é o terceiro na pontuação do campeonato, com 63 pontos, e fecha a segunda fila, largando em quarto.

Dos 24 pilotos inscritos, sete tiveram seus tempos no treino classificatório anulados por queima de radar – infração que consiste em velocidade acima do limite máximo estipulado para o ponto da pista onde está instalado o radar. Esta fiscalização acontece na reta dos boxes e os pilotos têm de respeitar, apenas à linha dos sensores, o limite máximo de 160 quilômetros por hora. Depois de tal linha, a velocidade é liberada.

A lista inclui o nome do paulista Vinicius Ramires, que cruzou a 165 km/h a linha onde a velocidade dos caminhões é auferida. “Errei porque não consegui treinar o ponto do radar”, admite o piloto da RRT2. Durante as quatro sessões de treinos livres, os pilotos costumam compara os pontos de aceleração e frenagem para definir o estilo de pilotagem que lhes renda melhor desempenho, desde que contemplando a velocidade limite.

No caso de Ramires, essa adaptação foi prejudicada por uma série de contratempos. Nos treinos de sexta-feira, a quebra do cardan do Mercedes-Benz número 80 provocou avarias também nas mangueiras do sistema de freios. Neste sábado, como conseqüência, o piloto percebeu excesso de vibração no caminhão. “Na tomada, freei cedo, tirei o pé mais cedo e reacelerei. O caminhão retomou velocidade de repente e estourei o radar”, resumiu.

Na Super Classificação, fase do treino classificatório que devolve à pista os cinco pilotos mais rápidos para uma nova disputa pela pole position, Leandro Totti tornou-se o oitavo a queimar o radar. Sem tempo, o paranaense da Ford, que comandou três grid neste ano, sai em quinto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *