WEC: Bruno Senna espera estrear

Seis Horas de Silverstone abrem calendário do Campeonato Mundial de Endurance

Dois anos depois de deixar a equipe oficial da Aston Martin na divisão GTE Pro, Bruno Senna reestreia neste fim de semana no FIA WEC – Campeonato Mundial de Endurance, desta vez conduzindo o protótipo Ligier JS P2-Nissan da mexicana RGR Sports by Morand na categoria LMP2. As 6 Horas de Silverstone, com largada prevista para as 8 horas (Brasília) de domingo, abrem o calendário de nove etapas que apresenta as lendárias 24 Horas de Le Mans como seu ponto mais alto.

Bruno chegou hoje à Inglaterra e foi direto ao autódromo, onde exercitaria a troca de pilotos com os companheiros, o mexicano Ricardo Gonzalez e o português Filipe Albuquerque. Ao longo dos próximos dias, esta será uma prioridade do trio, já que a prática acabou não sendo possível durante o prólogo realizado no mês passado em Paul Ricard, na França. Os ensaios coletivos, no entanto, se não foram capazes de apontar o real potencial de cada carro, ao menos serviram para projetar as impressões iniciais. “Tudo indica que estamos no bolo”, avisou Bruno.

Onze carros estão inscritos para o primeiro combate na LMP2, a mais numerosa e competitiva do grid. Além de Bruno, outros quatro brasileiros estão em Silverstone: Nelsinho Piquet, dividindo o Rebellion R-One – AER com o alemão Nick Heidfeld e o francês Nicolas Prost, e Lucas di Grassi com seus parceiros, o francês Loïc Duval e o britânico Olicer Jarvis, ao comando do Audi R18 da LMP1. Pipo Derani, o canadense Christopher Cumming e o britânico Ryan Dalziel pilotarão um carro semelhante ao de Bruno na LMP2. Finalmente, Fernando Rees se manteve na GTE Pro com o time oficial da Aston Martin ao lado do neo-zelandês Richie Stanaway.

Bruno elogiou o comportamento do Ligier JS P2-Nissan em Paul Ricard, embora ressalvando que as prováveis diferentes condições de cada carro prejudiquem uma análise mais precisa dos resultados na pista francesa. “Nunca se sabe exatamente o que os outros estão testando, qual a quantidade de combustível que carregam. Minha melhor volta, com pneus novos e tanque cheio, foi meio segundo mais lenta que a do mais rápido. Mas não sei qual era a configuração dele e essa foi a única vez que botei os pneus zero. Ainda nos falta um pouco de informação”, observou.

Amanhã serão realizadas duas sessões de treinos livres, uma a partir das 8h15 e outra às 12h15 pelo horário de Brasília. Bruno reconhece que haverá muito o que fazer antes de colocar o carro em condições de brigar pela pole na sessão classificatória de sábado. “Sentimos o carro ainda um pouco traseiro, notadamente nas entradas de curva. Além disso, os pneus Dunlop deste ano têm outra construção e vão dar trabalho até que possamos entende-los completamente. Será preciso um pouco de paciência. Mas o lado positivo é que meu consumo de pneus foi bastante animador e o melhor entre os pilotos da nossa equipe”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *